Transações contextualizadas com cartão virtual

O projeto de tokenização em massa, inicialmente voltado a pagamentos seguros sem cartão presente, simplificou a mitigação de fraudes em todos os canais online. A taxa de aprovação de compras aumentou 15 pontos percentuais, comparada à do cartão convencional, e o próprio consumidor valorizou o ganho de segurança. Como resultado, o ticket médio das compras com o cartão virtual é 75% superior, uma vez que tanto o estabelecimento quanto o comprador confiam mais na integridade da transação.

Ao solicitar uma compra com o cartão virtual, o banco converte o número do cartão convencional em uma sequência única de números, irreversível à informação original fora do ambiente do banco. O token (que no caso não é o dispositivo físico, mas sim o código gerado matematicamente) funciona como referência ao cartão original e contém ainda informações que contextualizam a transação, como identificação do estabelecimento na venda. Portanto, mesmo que o cartão virtual seja interceptado, fica impraticável seu uso para compras fraudulentas.

Compartilhe

Notícias relacionadas

Blog
Mudança na natureza jurídica da ANPD fortalece aplicação da LGPD
Por Edilma Rodrigues A Medida Provisória (MPV) nº 1.124, de 13 de junho de 2022 assinada pelo...
Blog
Mercado Pago usa tecnologia de segurança da Mastercard para criptos
A carteira digital do Mercado Livre, o Mercado Pago, vai usar
Blog
Ant Group lança banco digital para micro, pequenas e médias empresas em Singapura
O ANEXT Bank, banco digital de atacado de Singapura e parte do Ant Group, anunciou...
Blog
Cetelem vai reduzir 6 mil toneladas de CO² com emissão de cartões reciclados
O Banco Cetelem Brasil emitiu cerca de 370 mil cartões de plástico reciclado, desde o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top