Syngenta lança Syde, conta digital voltada aos agricultores

class=wp-image-17202

Na quarta-feira (19), a Syngenta Proteção de Cultivos, lançou a Syde, conta digital em formato de aplicativo e internet banking que oferece uma série de serviços financeiros, como crédito, pagamentos e transferências. Além disso, o canal oferecerá seguros, cobrança, gestão de crédito, investimentos, cartões e demais serviços para produtores rurais, revendas de insumos e cooperativas agrícolas. O objetivo é oferecer uma solução modular, que pode ser adaptada às necessidades de cada cliente. Por isso, a novidade tem a capacidade de suportar produtores, revendas e cooperativas de diferentes perfis, culturas e regiões. 

A Syde representa um movimento inédito no agronegócio e um passo importante para a Syngenta ante seu compromisso de levar inovação e apoiar o desenvolvimento do agronegócio no país.

“A alta de juros e custos elevados vivenciados pelos agricultores foram grandes motivadores para que a companhia continue gerando valor para seus clientes”, avalia Leandro Serau, CFO da Syngenta Proteção de Cultivos.

A conta digital será estruturada em parceria com uma Sociedade de Crédito Direto (SCD), que prestará o serviço de Banking as a Service (BaaS), tendo o crédito como funcionalidade mais importante, por meio de parcerias com fintechs e bancos, que serão os credores e administrarão o risco das operações. A versão inicial da Syde conta com parceiros importantes como Itaú e as agfintechs Farm e AL5Bank, que somam mais de 1 bilhão de reais de linhas de crédito adicionais.

“Queremos ser o melhor e mais completo parceiro financeiro do agronegócio. Para nós, a Syde é a evolução do papel da Syngenta no financiamento do setor, que antes concentrava seu atendimento a clientes diretos – principalmente revendas e cooperativas – e agora vai chegar também ao pequeno e médio agricultor, oferecendo novas opções para a sua gestão financeira”, comenta Serau.

Desde 2011, a Syngenta vive um processo de ‘bancarização empresarial’, quando deu início às emissões de diversos Certificados de Recebimento do Agronegócio (CRAs) e Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs) no mercado de capitais, somando 5,5 bilhões de reais. No ano passado, a companhia acelerou o passo e o valor das operações estruturadas pela divisão de soluções financeiras da empresa chegou a 6 bilhões de reais, com mais dois FIDCs e uma operação de financiamento de estoques, superando o montante acumulado nos 10 anos anteriores.

(Fonte: Assessoria de Imprensa)

Compartilhe

Notícias relacionadas

TOP 6
Receita do e-commerce pode crescer até 30% com otimização de pagamentos
Entre os pontos mapeados por estudo estão localização de pagamentos, financiamento incorporado à venda, experiência...
TOP 6
VTEX DAY debate Inteligência Artificial e o futuro do varejo
No primeiro dia, evento teve painel especial com os futuristas Uri Levine, co-fundador do Waze,...
TOP 6
Setor de telecom recolheu R$ 5 bilhões para fundos setoriais em 2023
Pela primeira vez desde 2001, recursos do Fust foram aplicados no financiamento de projetos de...
TOP 6
Entidades assinam Carta Aberta sobre Marco Regulatório de Inteligência Artificial
Documento recebeu a assinatura de 35 entidades, de diferentes setores, incluindo o financeiroA discussão sobre...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top