Crédito: Canva

Receita do e-commerce pode crescer até 30% com otimização de pagamentos

Entre os pontos mapeados por estudo estão localização de pagamentos, financiamento incorporado à venda, experiência do cliente, otimização de sistemas e uso de dados
A combinação de cinco estratégias de gestão de pagamentos pode contribuir para elevar em até 30% as receitas das empresas que trabalham com e-commerce. Investir em localização de pagamentos, financiamento incorporado na venda, experiência do cliente, otimização de sistemas e uso inteligente de dados é um bom caminho para aumentar o faturamento das vendas online. Os insights são de pesquisa feita pela provedora global de meios de pagamento de origem canadense Nuvei, que ouviu cerca de 300 executivos de empresas de e-commerce com experiência em meios de pagamento na Europa e na América do Norte.

“O e-commerce é um mercado em constante evolução, sujeito às constantes mudanças de necessidades e dores dos clientes ao redor do mundo, inclusive no que se refere ao sistema de pagamentos. Assim, as empresas que trabalham com vendas online devem estar sempre atentas para incorporar de maneira mais estratégica as novidades em termos de pagamentos”, comenta Rafael Lavezzo, vice-presidente da Nuvei para a América Latina. “Nosso estudo joga luz nos caminhos possíveis para isso”, acrescenta, lembrando que o relatório “Acelerando o crescimento da receita: como a otimização de pagamentos pode gerar ganhos de receita de até 30%” também apresenta estudos de caso e scorecards para que empresas de e-commerce possam aproveitar ao máximo o poder dos pagamentos em seus negócios.

O primeiro ponto relevante é a localização de pagamento. As empresas devem oferecer as possibilidades de pagamento conforme as preferências do consumidor de cada localidade. Assim, o e-commerce precisa identificar como os clientes gostam de pagar – em que moeda e quando preferem pagar, por exemplo. Atentar para essa estratégia evita que o consumidor se sinta obrigado a se adequar aos meios de pagamentos que a empresa oferece. O estudo mostrou que quase 50% das empresas entrevistadas prestam atenção a esse tópico, buscando ativamente parcerias com provedores locais de pagamentos para apresentar o que é melhor para os consumidores daquelas áreas.
Outro fator que possibilita ampliação do faturamento do comércio eletrônico é a oferta de financiamento incorporado para ajudar o consumidor a aumentar seu poder de compra. Essa estratégia está baseada no conceito de “buy now, pay later” (BNPL), que é uma espécie de crédito, por permitir um pagamento postergado. Esse tipo de iniciativa tende a atrair principalmente os consumidores que, por uma série de razões, não têm acesso ao crédito tradicional. Com a possibilidade de financiamento por meio do BNPL, muitos clientes podem decidir comprar ou comprar mais em determinado site de e-commerce, o que eleva a receita da empresa vendedora.
A terceira estratégia mapeada no estudo está relacionada à experiência de pagamento do consumidor: se ela é positiva, diminuem as chances de o cliente abandonar o carrinho de compras. As empresas entrevistadas relataram que 70% do abandono total do carrinho acontece depois que o cliente entra no fluxo de transações de pagamento. Para melhorar o desempenho dessa fase da venda, é recomendável, segundo o levantamento, que as empresas que vendem online invistam em três pontos: menor exigência de preenchimento de informações, facilitando o processo com o preenchimento automático; oferta de opções adequadas de pagamento e diminuição de erros ou atrasos no sistema para a conclusão da compra.
Não por acaso, a otimização dos processos após o pagamento é outro aspecto fundamental para incrementar as receitas do e-commerce. Esse trabalho ajuda a evitar que problemas com autorização e disponibilidade do sistema gerem falsas recusas – ocorrência que normalmente gera cancelamentos indevidos. De acordo com o estudo, entre 20% e 40% dessas recusas resultam em uma transação totalmente perdida – ou seja, prejuízo em termos de receita que deixa de ser obtida.
Atuante nesse nicho de otimização de processos, a Nuvei trabalha com funcionalidades e recursos para todas as etapas do pagamento: pré-transação, roteamento da transação e pós-transação. “Oferecemos soluções para que o e-commerce atinja as mais altas taxas de aprovação possíveis, com reflexo direto sobre o faturamento dos nossos clientes”, ressalta o vice-presidente da Nuvei para a América Latina.
O uso de dados é outra ferramenta importante para o crescimento da receita do e-commerce. Entre as empresas entrevistadas, 61% afirmaram usar dados de pagamentos para analisar as preferências de seus clientes, o que contribui para serem mais assertivas e eficientes no que oferecem. Usam dados de pagamentos para identificar oportunidades para novas vendas e upsell 57% das empresas ouvidas para a pesquisa.
À parte as cinco estratégias elencadas pelo estudo, Lavezzo destaca a necessidade de as empresas diversificarem os métodos de pagamento aceitos nas vendas online. “A pesquisa mostrou que 94% das empresas adotam pelo menos um método alternativo de pagamento. Elas estão atentas à rápida expansão de novas modalidades de pagamentos digitais, movimento que pode ter impacto relevante sobre a experiência do cliente e sobre a própria viabilidade financeira do comércio eletrônico”, observa, citando como exemplos de métodos diversificados, o pix brasileiro e o BNPL, cada vez mais comum no exterior.
Para obter mais informações sobre o estudo, acesse: “Acelerando o crescimento da receita: como a otimização de pagamentos pode gerar ganhos de receita de até 30%  

(Fonte: Assessoria de Imprensa)

Compartilhe

Notícias relacionadas

TOP 6
CMN e BC aprovam medidas para amenizar os efeitos da calamidade pública no RS
O Banco Central monitorará continuamente o funcionamento da intermediação financeira na regiãoEm reunião extraordinária no...
TOP 6
Competição voltada às tecnologias para finanças sustentáveis abre inscrições
Quinta edição do G20 TechSprint foi lançada pelo Banco Central (BC) e o Centro de...
TOP 6
Celcoin adquire startup especializada em regulação bancária e fiscal
Reg+ representa a quarta aquisição em dois anos, e reforça o investimento da empresa em...
TOP 6
Programa Celular Seguro é desconhecido por 40% da população, aponta pesquisa
Levantamento encomendado pela Febraban mostra que 29% dos entrevistados não estão interessados na plataformaAté o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top