Quantidade de brasileiros com conta corrente saltou de 56% para 68% em quatro anos

O Relatório de Inclusão Financeira (REF) divulgado pelo Banco Central nesta semana revelou uma evolução de 12 pontos percentuais na quantidade de pessoas com conta corrente no país entre os anos de 2010 e 2014. Segundo o estudo, o volume saltou de 56% para 68% no período. O documento diz que 84,5% dos adultos do país tinham algum contato com instituições financeiras em 2014, contra uma parcela de 74,3% em 2010.

Dados do BC e do Banco Mundial demonstram que com estes números, quando comparado com outros países que compõe os BRICS, o Brasil fica na frente da Rússia (67%, em 2014) e índia (53%) em número de contas, e perde para África do Sul (70%) e China (79%).

Observando a fatia da população que possui poupança nos bancos, no entanto, a situação muda, e o Brasil figura como lanterna da lista. Enquanto somente 12% dos brasileiros têm uma conta de reserva financeira, 14% dos indianos a tem, 16% dos russos, 33% sul-africanos e 41% dos chineses.

O relatório do BC mostra que o cartão de crédito, tanto o parcelado como o rotativo — linha de mais fácil acesso, mas que tem juros maiores — é um instrumento usado, principalmente, pelas famílias que ganham menos de três salários mínimos (45% do saldo de crédito do parcelado estava nessa faixa de renda e 43% do rotativo, no final de 2014). A inadimplência nessas modalidades também é maior nas rendas mais baixas: 47,1% estão atrasados com a dívida no rotativo. Os calotes médios dessa faixa são de 6,1%.

Segundo o RIF, 12% dos adultos do Brasil possuem algum empréstimo nos bancos. Nesse indicador, o País aparece na frente da índia (6%), da Rússia (10%) e, inclusive, da China (10%), e empata com a África do Sul (10%).

De acordo com reportagem publicada pelo jornal DCI, o Banco Central informou que o endividamento das famílias passou de 29% para 45,9%, entre 2007 e 2014. O BC destacou, contudo, que 27,9% do endividamento é formado por financiamento imobiliário que, na avaliação do regulador, é um crédito mais saudável, caracterizado por ser mais longo, de menor custo e com a garantia do próprio imóvel, o que ainda tem a vantagem de formar patrimônio.

Compartilhe

Notícias relacionadas

Blog
Mudança na natureza jurídica da ANPD fortalece aplicação da LGPD
Por Edilma Rodrigues A Medida Provisória (MPV) nº 1.124, de 13 de junho de 2022 assinada pelo...
Blog
Mercado Pago usa tecnologia de segurança da Mastercard para criptos
A carteira digital do Mercado Livre, o Mercado Pago, vai usar
Blog
Ant Group lança banco digital para micro, pequenas e médias empresas em Singapura
O ANEXT Bank, banco digital de atacado de Singapura e parte do Ant Group, anunciou...
Blog
Cetelem vai reduzir 6 mil toneladas de CO² com emissão de cartões reciclados
O Banco Cetelem Brasil emitiu cerca de 370 mil cartões de plástico reciclado, desde o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top