PIX internacional é impulsionado por empresas do Brasil

Considerado o método de pagamento preferido dos brasileiros, de acordo com a pesquisa O Perfil do Cliente de Bancos, da Akamai/Cantarino Brasileiro, o Pix até dezembro de 2022, o Pix já tinha alcançado 141,6 milhões de usuários (66% da população brasileira), com cerca de 550 milhões de chaves registradas, movimentando, em média, 30 bilhões de reais a cada 24 horas. Os dados, fornecidos pelo Banco Central, destacam a relevância do meio de pagamento e justificam o surgimento de iniciativas como a oferta do serviço no exterior, que começam a surgir no mercado. 

No mês passado, a fintech brasileira PagBrasil anunciou o lançamento do Pix para pagamentos entre turistas brasileiros e comerciantes da Argentina, Uruguai, Chile e Estados Unidos. A empresa espera alcançar, até o final de 2024, 610 milhões de dólares por ano em volume transacionado por meio do recurso. 

Essa semana, foi a vez da Fiserv, empresa global de pagamentos e tecnologia financeira, anunciar o lançamento da modalidade na Argentina. “Nosso objetivo é conectar todos os tipos e tamanhos de empresas com as mais diversas modalidades de pagamento, instituições financeiras e provedores, para facilitar a aceitação de múltiplas opções na hora de pagar e ajudar cada comércio no crescimento do seu negócio”, afirma Jorge Valdivia, general manager da Fiserv no Brasil. “Como a Fiserv opera em vários países da região, somos capazes de adaptar tecnologias localmente, melhorando a experiência de nossos clientes e, neste caso, as pessoas que visitam a Argentina.”

Além da facilidade, o Pix no exterior mantém as vantagens oferecidas no Brasil relativas aos custos transacionais mais baratos. Para os comerciantes no exterior, as taxas de desconto também são menores do que em transações com cartão. “O Pix tem muito potencial, não somente como uma forma de transferir dinheiro, mas como uma plataforma para soluções inovadoras. Pensando em expandir ainda mais esse potencial, é que estamos investindo em tecnologia para a criação do nosso Pix Internacional”, considera Alex Hoffmann,

CEO e cofundador da PagBrasil.

Operacionalização

Ao contratarem a tecnologia da PagBrasil, hotéis, restaurantes e lojas de outros países podem fazer a cobrança com o celular ou tablet, dispositivos que funcionarão como “maquininhas”. Já a solução oferecida pela Fiserv estará disponível através de dispositivos Clover®, e por meio de um site para comércios que usam seus terminais PosNet. 

Em ambos os casos, a experiência de pagamento será similar a que existe no Brasil, com a leitura de um QR Code, e o valor a ser pago será convertido em reais no momento da compra para o usuário final, evitando riscos de variações cambiais. Os consumidores pagarão a taxa de IOF aplicável para transações de câmbio, tornando as transações por Pix mais econômicas e seguras.

Compartilhe

Notícias relacionadas

TOP 6
CMN e BC aprovam medidas para amenizar os efeitos da calamidade pública no RS
O Banco Central monitorará continuamente o funcionamento da intermediação financeira na regiãoEm reunião extraordinária no...
TOP 6
Competição voltada às tecnologias para finanças sustentáveis abre inscrições
Quinta edição do G20 TechSprint foi lançada pelo Banco Central (BC) e o Centro de...
TOP 6
Celcoin adquire startup especializada em regulação bancária e fiscal
Reg+ representa a quarta aquisição em dois anos, e reforça o investimento da empresa em...
TOP 6
Programa Celular Seguro é desconhecido por 40% da população, aponta pesquisa
Levantamento encomendado pela Febraban mostra que 29% dos entrevistados não estão interessados na plataformaAté o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top