Para especialista há muitos gargalos e mitos para as empresas atuarem com o PIX

Para especialista há muitos gargalos e mitos para as empresas atuarem com o PIX

Os pagamentos instantâneos, PIX, são uma das principais inovações no mercado financeiro. Segundo especialistas, a última inovação do mesmo quilate foi a implantação do SPB – Sistema de Pagamentos Brasileiros, lá nos idos de 2002. Há poucos meses de entrar em cena – novembro deste ano – o PIX é aguardado e ninguém quer ficar de fora dele, tanto que 980 instituições financeiras e de pagamentos se inscreveram para a etapa de homologação. O que não é frequentemente comentado, no entanto, são os gargalos que as empresas interessadas em atuar com o novo modelo de pagamento devem enfrentar.

“Tudo é seguro até que surjam os primeiros problemas. Segurança tem que ir além do discurso. No mercado financeiro a criptografia é um ponto nevrálgico. Implementar não é o suficiente. É preciso pôr à prova… E isso não pode acontecer em ambiente de produção, menciona Fernando Tasso, CEO da Prodist, especializada na arquitetura, integração e desenvolvimento de soluções seguras.

O executivo salienta que o PIX é algo inédito no segmento de liquidação financeira por ser uma operação 24×7 para todo o mercado. “Isso significa que todos os processos envolvidos têm que suportar tolerância a falhas, até mesmo a manutenção de software e hardware. Numa corrida de Fórmula 1 você precisa de expertise para trocar pneus no menor tempo possível; aqui estamos falando de algo mais complicado. Não há pausas. Tudo acontece on the fly, com o carro andando. Essa logística é complexa e envolve riscos de diversas ordens. Mais do que discutir os benefícios do PIX, as empresas precisam de um roteiro de riscos para evitarem surpresas, fazerem escolhas assertivas e manterem seus compromissos com o SLA (Service Level Agreement),” assinala o CEO.

É preciso desmistificar conceitos como performance e facilidade de integração

Para aprofundar este e outros gargalos que as empresas têm pela frente para atuar com o PIX, a Prodist resolveu promover um webinar, que acontece em 23 de julho. O objetivo é fomentar o conhecimento de requisitos fundamentais na escolha de soluções. Na ocasião, a empresa pretende desmistificar conceitos como performance, escalabilidade, facilidade de integração. “Não acreditamos que exista uma única solução adequada a todos. Queremos ajudar apresentando um roteiro de risco factual. Acreditamos que trazer luz a essas questões é fundamental para implementações bem sucedidas,” acrescenta Fernando Tasso.

Além disso, segundo a empresa, termos como performance, escalabilidade, facilidade de integração estão em voga e são atraentes, mas muitos são conceitos ultrapassados. “Performance e escalabilidade, por exemplo, são conceitos do século passado. No século XXI isso já não é uma questão, estamos na era do IaaS – Infraestrutura as a Service. Outro conceito extremamente vago é o da facilidade de integração. Fácil para quem? Pilotar um boeing é fácil para quem sabe. Não existe uma solução que sirva para todos os casos,” alerta Tasso.

A Prodist está envolvida com criptografia desde 1998. Seu carro-chefe é um framework de criptografia que está em operação desde o início do SPB, a serviço de uma das maiores clearings (empresa que opera com serviços de compensação e liquidação) do mercado financeiro brasileiro. 

“Esta instituição é responsável pela compensação de liquidação dos sistemas SITRAF e SILOC. Provavelmente, esta clearing concentra o maior volume de transações do SPB. Podemos dizer que nossa solução é uma engrenagem fundamental de um sistema maior, que atua como um dos pontos nevrálgicos do SPB. O SLA neste ambiente é de 99,96%. Estamos falando de apenas um cliente, mas que é responsável por sistemas de missão crítica. O PIX é um sistema inovador, mas utiliza tecnologias já conhecidas porque não pode falhar. Estamos acostumados com isso. Temos um roteiro de riscos que não é conceitual, é prático. As soluções PIX que desenvolvemos são balizadas por casos de sucesso,” finaliza o executivo.

Webinar: PIX: Criptografia e Roteiro de Riscos
Data: 23/07
Horário: 17h
Inscrição: Reserve sua agenda

Compartilhe

Notícias relacionadas

Blog
Mudança na natureza jurídica da ANPD fortalece aplicação da LGPD
Por Edilma Rodrigues A Medida Provisória (MPV) nº 1.124, de 13 de junho de 2022 assinada pelo...
Blog
Mercado Pago usa tecnologia de segurança da Mastercard para criptos
A carteira digital do Mercado Livre, o Mercado Pago, vai usar
Blog
Ant Group lança banco digital para micro, pequenas e médias empresas em Singapura
O ANEXT Bank, banco digital de atacado de Singapura e parte do Ant Group, anunciou...
Blog
Cetelem vai reduzir 6 mil toneladas de CO² com emissão de cartões reciclados
O Banco Cetelem Brasil emitiu cerca de 370 mil cartões de plástico reciclado, desde o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top