Pagamentos com cartões crescem 36,5%, por aproximação quase 350%

Pagamentos com cartões crescem 36,5%, por aproximação quase 350%

Por Edilma Rodrigues

As compras pagas com cartões de crédito, débito e pré-pagos movimentaram 1,6 trilhão de reais no primeiro semestre de 2022, crescimento de 36,5% em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados da Abecs, que apresentou o Balanço do setor de meios eletrônicos de pagamento, em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (10). 

De acordo com o presidente da entidade, Rogério Panca, o resultado mostra que o setor continua em ritmo de crescimento, sendo impulsionado pelo aumento da digitalização das transações e pelo retorno à normalidade após o período de isolamento mais crítico em decorrência da pandemia de Covid-19 em 2021.

Pagamento por aproximação cresce 344,5%

O pagamento por aproximação, com uso da tecnologia NFC (Near Field Communication), é o que mais cresce entre os meios de pagamento. Na comparação com o 1S21, a alta foi de 344,5% no primeiro semestre de 2022, movimentando 235,5 bilhões de reais. No período, foram mais de 4,6 bilhões de pagamentos contactless em compras presenciais. Panca destaca que o uso da modalidade mostra que a fluidez nos pagamentos está presente, e com ela, a boa experiência do cliente.

Gráfico,

O mais usado nessa função foi o cartão de crédito, com R$ 132,2 bilhões (+338,6%), seguido pelo cartão de débito, com R$ 63,9 bilhões (+306,3%), e pelo cartão pré-pago, com R$ 39,4 bilhões (+453,7%). Outro destaque foi o crescimento do uso dos cartões na internet, em aplicativos e outros tipos de compras não presenciais, que manteve o ritmo de crescimento no primeiro semestre de 2022. Esse tipo de transação movimentou R$ 338,5 bilhões no período, alta de 32,7% – reflexo da mudança dos hábitos de consumo dos brasileiros.

Compras com cartão de crédito crescem mais de 42%

Na comparação entre as modalidades, o destaque foi o uso do cartão de crédito, que cresceu 42,2%, registrando pela primeira vez 1 trilhão de reais em pagamentos dentro de um período de seis meses. O segundo maior volume no período foi o do cartão de débito, que movimentou 488 bilhões de reais e cresceu 16,6%. O cartão pré-pago somou R$ 99,4 bilhões, com crescimento de 137,7%. “Brasileiros continuam usando mais o cartão em substituição a dinheiro, cheque e outros meios, buscando soluções como parcelamento sem juros, compras online, pagamento por 

aproximação, entre outros benefícios”, comenta a Abecs.

Inadimplência

A inadimplência segue em níveis historicamente baixos, o rotativo representa 2,8% do total do endividamento das família, em abril de 2022. Panca informa que o setor está sempre olhando com rigor, especialmente quanto às novas concessões, a fim de manter a inadimplência sob controle.

Interface

A Abecs salienta que, nos últimos anos, a participação do rotativo no endividamento das famílias apresenta tendência de queda. “No gráfico, há uma ‘barriga’ de uso do rotativo, durante os meses da pandemia, por conta da restrição da mobilidade e das contribuições do governo federal, com o auxílio emergencial”, explica Panca.

Interface

Inadimplência no cartão de crédito

A taxa de inadimplência do cartão de crédito também se mantém em níveis historicamente baixos. Para a indústria de cartões, o desafio será manter o ritmo de inclusão financeira da população, sem comprometer os baixos níveis de inadimplência no setor.

Gráfico

Quantidade de transações

Em quantidade de transações, os brasileiros registraram uma média de 104 milhões de pagamentos com cartões por dia durante os seis primeiros meses do ano. Ao todo, foram 18,7 bilhões de transações no semestre, o que representou um crescimento de 37,4% em comparação com o mesmo período do ano passado.

O cartão de crédito foi a modalidade mais usada, com 8,8 bilhões (alta de 36%), seguido pelo cartão de débito, com 7,4 bilhões (alta de 20,6%) e pelo cartão pré-pago, com 2,4 bilhões (alta de 155,3%).

Uso no exterior

De janeiro a junho, os gastos de brasileiros no exterior voltaram a crescer de maneira importante, com avanço de 166,4% (em comparação com o primeiro semestre de 2021), e movimentaram US$ 4,4 bilhões (R$ 22,19 bilhões). 

Os locais onde os brasileiros mais realizaram pagamentos foram os EUA, com R$ 9,6 bilhões (+139%), e a Europa, com R$ 9,2 bilhões (+184,6%), que, juntos, representaram 85% de todos os gastos com cartões no exterior.

Interior vs capitais

As cidades do interior já representam 60% do total transacionado com cartões, reflexo da expansão do setor, da inclusão financeira e do aumento do acesso aos meios digitais pela população localizada longe dos grandes centros.

Compartilhe

Notícias relacionadas

TOP 6
Desenrola Pequenos Negócios: contratos ultrapassam R$ 2,4 bilhões
Volume financeiro teve crescimento expressivo em junhoO programa Desenrola Pequenos Negócios registrou, até o último...
TOP 6
GOL firma parceria para melhorar pagamentos digitais na América Latina
Companhia aérea se uniu à dLocal para possibilitar transações mais simples com cartões locais na...
TOP 6
75% dos consumidores esperam promoções para concluir compras, revela pesquisa
Estudo do Mercado Livre identifica os hábitos de consumo dos brasileiros Pesquisa recente, conduzida pelo Mercado...
TOP 6
Primeiros usos do Drex serão com tokens de ativos não-físicos, indica pesquisa
Conclusão é de pesquisa feita pela ClearSale com suporte do CPQD com o objetivo de...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top