Bolsa de Valores da Favela apresenta primeira rodada de resultados

Bolsa de Valores da Favela apresenta primeira rodada de resultados

Por Edilma Rodrigues

A Bolsa de Valores da Favela, iniciativa criada pelo G10 Favelas que permite que investidores possam ser sócios de promissoras startups das favelas, divulga sua primeira rodada de resultados aos investidores. O primeiro IPO foi da startup Favela Brasil Xpress, durante o Slum Summit 2021, que captou, neste ciclo, R$ 899.990,00, com rendimento de 3,38%, cerca de R$ 34.741,00 ou 3,86% sobre o valor investido. A startup inicia o primeiro pagamento dos rendimentos. A emissora tem o compromisso de em até dez anos pagar aos investidores R$ 1.619.982,00 – 1,8x o valor captado. 

Para o CEO da Empiricus Investimentos, Jojo Wachsmann, o investidor que acreditou no projeto da FBX deve estar feliz. “Já na sua primeira distribuição de resultados para o período de junho a agosto, o retorno foi de 3,86% sobre o valor investido, ficando à frente de outros índices no período: CDI 3,24%, Poupança 2,10%, IPCA -0,37% e Ibovespa -1,64%. E a empresa segue crescendo, logo esse resultado deve melhorar nos próximos meses, especialmente com a Black Friday e Natal”, avalia Wachsmann.

Segundo o CEO da Favela Brasil Xpress, Giva Pereira, após a abertura do capital, a startup teve mais de 800 investidores de dentro e de fora de Paraisópolis, que fizeram oferta de valores a partir de dez reais. Quem aplicou vai receber participação nos lucros da FBX, a cada três meses, durante cinco anos”, explica Pereira. 

Cerca de 400 startups de favelas do Brasil estão inscritas para os próximos IPOs e, nos próximos seis meses, estão planejadas ações para uma nova rodada de captação de recursos para ampliação dos investimentos. Entre os projetos a serem executados estão a abertura de mais de 50 bases e escopos operacionais em todo o Brasil, ampliação de residências mapeadas pelo “Plus Code” e a maior Black Friday da história, estimando em mais de 200 mil entregas por dia no período.  

O IPO da Favela Brasil Xpress, no ano passado, contou com a participação de lideranças e personalidades, entre elas, Luiza Helena Trajano, presidente do conselho de administração do Magazine Luiza, o apresentador Luciano Huck, o CEO da Forbes Brasil, Antonio Camarotti, a empresária Cris Arcangeli, Murilo Duarte (Favelado Investidor), além do prefeito da cidade de São Paulo, Ricardo Nunes, que tocaram o sino juntamente com Gilson Rodrigues do G10 Favelas e Giva Pereira, CEO da FBX.

“Estes resultado provam que negócios de favela, além de terem impacto social, são rentáveis para investidores dispostos a incentivar o surgimento de soluções inovadoras, sendo a essência da cultura empreendedora existente nas favelas do Brasil”, comemora o presidente do G10 Favelas, Gilson Rodrigues.

Com informações do G10 Favelas

Compartilhe

Notícias relacionadas

TOP 6
CMN e BC aprovam medidas para amenizar os efeitos da calamidade pública no RS
O Banco Central monitorará continuamente o funcionamento da intermediação financeira na regiãoEm reunião extraordinária no...
TOP 6
Competição voltada às tecnologias para finanças sustentáveis abre inscrições
Quinta edição do G20 TechSprint foi lançada pelo Banco Central (BC) e o Centro de...
TOP 6
Celcoin adquire startup especializada em regulação bancária e fiscal
Reg+ representa a quarta aquisição em dois anos, e reforça o investimento da empresa em...
TOP 6
Programa Celular Seguro é desconhecido por 40% da população, aponta pesquisa
Levantamento encomendado pela Febraban mostra que 29% dos entrevistados não estão interessados na plataformaAté o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top