Luiz Fernando Lopes, gerente de Plataformas Digitais na TecBan

Junto com consórcio, TecBan instala nó com rede do Bacen para testes do Real Digital

Grupo de trabalho com 11 empresas de diversos setores do mercado financeiro avança no calendário proposto pelo Banco Central
O consórcio no qual a TecBan, empresa de soluções que integram o físico e o digital no ecossistema financeiro, instalou, com sucesso, junto ao Banco Central o nó validador para execução das operações do projeto piloto do Real Digital. A companhia encabeça o grupo com o Banco da Amazônia (BASA) e outras nove instituições (Pinbank Brasil, Dinamo, Banco Arbi, Ntokens, ClearSale, Foxbit Servicos, CPQD, AWS e Parfin). Segundo o calendário do Banco Central, a etapa pode ser concluída até 3 de novembro.
O consórcio multidisciplinar conta com um time técnico de mais de 30 pessoas dedicadas para as atividades do Projeto Piloto e entregas previstas no plano de trabalho do Bacen, realizando reuniões semanais de revisão geral das atividades executadas e acompanhamento do cronograma oficial, reuniões quinzenais de planejamento técnico das próximas sprints e reuniões diárias de desenvolvimento blockchain e interação com os smart contracts do Banco Central.
De acordo com Luiz Fernando Lopes, Gerente de Plataformas Digitais na TecBan, um dos grandes diferenciais do projeto é a integração de serviços oferecidos pelos diferentes participantes do consórcio, que tem expertise no desenvolvimento blockchain, redes privadas, Hyperledger Besu, custódia, tokenização, segurança e privacidade, serviços computacionais em nuvem, além de instituições financeiras com amplo conhecimento das necessidades do mercado.
“A diversidade de empresas que integram o grupo de trabalho certamente contribuirá com discussões para o desenvolvimento do Real Digital, pois estamos levando em consideração os diferentes tipos e estrutura de instituições financeiras e de pagamento. Estamos desenhando modelos de negócios que procuram entender os desafios que a moeda digital pode enfrentar e de que maneira a tokenização pode ajudar a saná-los, como é o caso da proposição de geração de token para a CPR do Banco da Amazônia” destaca Luiz.

Com a etapa concluída, o consórcio já está focado na conclusão da próxima fase: resgate de contratos de Títulos Públicos Federais, com previsão para 30/11.

(Fonte: Assessoria de Imprensa)

Compartilhe

Notícias relacionadas

TOP 6
Inteligência Artificial pode contribuir em até 5,4% do PIB da América Latina até 2030
Segundo relatório da Allianz Trade número fica atrás dos Estados Unidos e Canadá, que devem...
TOP 6
Valid lança primeiro cartão bancário 100% em braille no Brasil
Os cartões já estão disponíveis para os clientes do Banco do Brasil (BB); equipamento inédito...
TOP 6
Embratel amplia solução de conectividade via satélite para fornecer redundância
Serviço de Banda Larga via satélite proporciona uma camada adicional de backup à rede das...
TOP 6
Banco Central publica próximos passos da regulação de criptoativos
A infraestrutura criada para o Piloto com Tecnologia de Registro Distribuído (DLT) passará a testar...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top