nota4

IoT e pagamentos tokenizados – por que eles são tão importantes para o crescimento do setor?

Geladeiras, carros, relógios, anéis – o que todos esses itens têm em comum? Todos são produtos da internet das coisas (IoT – Internet of Things), capazes de se conectar à web e concluir transações ou interagir com usuários por meio de uma interface móvel. E o número de itens habilitados para se conectar à internet está aumentando em ritmo acelerado.

Segundo o Gartner, haverá mais de 20 bilhões de dispositivos IoT conectados à web até 2020. Muitos desses dispositivos também estão abrindo as portas para transações móveis via canais não tradicionais, como encomendar comida pela geladeira ou usar um relógio inteligente para pagar o almoço – escreve o gerente de produto para análise de pagamentos da CSI, Matt Herren.

E quando se trata de fazer transações financeiras com um objeto conectado à web, a tecnologia NFC conclui as transações sem usar fisicamente uma carteira ou um smartphone. Como a tecnologia continua avançando, será apenas uma questão de tempo até que quase todos os dispositivos tenham capacidade de pagamento.

Embora isso signifique métodos de transação mais convenientes para os consumidores, ele também abre uma janela para crimes cibernéticos e violações de segurança. E torna a tokenização, processo que extrai as credenciais do cartão em uma transação e as substituí por um token exclusivo, um método ainda mais importante para proteger não apenas as instituições financeiras, mas também seus clientes, contra-ataques agressivos.

Todos esses dispositivos estão aumentando as vulnerabilidades de segurança para comerciantes, consumidores e instituições financeiras, por isso é importante que todos os dispositivos de IoT sejam seguros, sem cartão facilmente comprometido, conta ou informações pessoais anexadas a ele. É aí que a tokenização desempenha um papel fundamental no futuro dos dispositivos conectados e na IoT.

Tokenization 101

A tokenização é o processo de substituir dados confidenciais por símbolos de identificação exclusivos que retêm todas as informações essenciais sobre os dados sem comprometer sua segurança. A parte valiosa desse processo é a capacidade de tornar qualquer informação importante ou estática inacessível, substituindo o número do cartão por um token exclusivo. A tokenização cria um número de transação dinâmico criptografado, mantendo o sigilo dos dados da conta para o comerciante – e para qualquer um que conseguir roubar os dados tokenizados.

Veja como o processo funciona: o varejista envia uma transação semelhante à transação EMV para a rede, e o processador de pagamentos faz a correspondência com ela para o cofre forte do token. O token é então comparado ao número real do cartão e a aprovação é enviada ao emissor para validação, o que cria uma parte adicional de dados dinâmicos e um nível extra de segurança.

O aspecto mais importante da tokenização é a eliminação de dados essenciais, como o número do cartão, o CVV e a data de validade, da transação. Os dados temporários do token são inúteis para um criminoso e, à medida que a transação passa por várias rotas, o risco de comprometimento permanece baixo.

Tokenização e IoT

Com bilhões de dispositivos em breve se tornando soluções de pagamento, é essencial garantir que cada dispositivo, e as redes com as quais eles estão correlacionados, permaneçam seguros para consumidores e comerciantes. E ao usar a tokenização, os varejistas on-line podem oferecer o mesmo nível de proteção que um cartão EMV fornece para transações dentro da loja.

Além disso, a interação entre sites de comércio eletrônico e wallets móveis estabelece um processo de checkout de um único botão para clientes que usam dispositivos móveis e outros dispositivos de IoT. Isso é importante porque os dólares de comércio eletrônico agora representam 10% de toda a receita de varejo.

De fato, a tokenização vai conduzir a comercialização da IoT do futuro. Com transações vinculadas a carteiras digitais e protegidas por um token, todos os dispositivos têm o potencial de se tornar um meio de pagamento. Os carros, em particular, vão se tornar, em breve, um mecanismo de pagamento ideal para o combustível, cabines de pedágio, estacionamentos e até de fast food. Por meio da NFC, os consumidores poderão concluir transações, de maneira segura, sem precisar de uma carteira.

Para que os dispositivos de IoT se tornem meios de pagamento que, na verdade, sejam seguros – reduzindo as fraudes sem a presença de cartão – as instituições devem incorporar a tokenização em seus sistemas. Isso pode ser alcançado por meio de plataformas centrais e processadores de pagamento que possuem tokenização integrada em sua tecnologia.

Gigantes de pagamentos como Visa e Mastercard já estão fazendo a transição para a tokenização transparente e quase sem custo. Estas companhias definiram o padrão que dá a cada instituição financeira e ao comerciante a capacidade de utilizar a tokenização, sem custos astronômicos.

E como a tokenização retira os dados estáticos da transação, é quase impossível comprometê-los, o que economiza tempo e preocupações para varejistas, instituições e clientes.

À medida que mais dispositivos conectados se tornam instrumentos de pagamento, é crucial que a tecnologia por trás de cada transação mantenha a instituição e o consumidor seguros por meio da tokenização.

Fonte: Payment Cards & Mobile

Tradução e adaptação: Edilma Rodrigues

Nota do tradutor: EMV é a especificação criada pela Europay, MasterCard e Visa para a segurança de pagamentos eletrônicos de débito e crédito.

Compartilhe

Notícias relacionadas

Blog
Mudança na natureza jurídica da ANPD fortalece aplicação da LGPD
Por Edilma Rodrigues A Medida Provisória (MPV) nº 1.124, de 13 de junho de 2022 assinada pelo...
Blog
Mercado Pago usa tecnologia de segurança da Mastercard para criptos
A carteira digital do Mercado Livre, o Mercado Pago, vai usar
Blog
Ant Group lança banco digital para micro, pequenas e médias empresas em Singapura
O ANEXT Bank, banco digital de atacado de Singapura e parte do Ant Group, anunciou...
Blog
Cetelem vai reduzir 6 mil toneladas de CO² com emissão de cartões reciclados
O Banco Cetelem Brasil emitiu cerca de 370 mil cartões de plástico reciclado, desde o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top