Crédito de: Freepik.com

Instituições financeiras promovem educação digital com campanhas contra golpes

Pesquisa revela que compra e venda de itens online fizeram 80 mil vítimas de golpes nos primeiros nove meses de 2023
Com as facilidades do mundo digital, cada vez mais pessoas compram e vendem produtos online, que vão desde smartphones a carros. Se por um lado todos ganham com a facilidade e agilidade, a falta de conhecimento sobre como funcionam as negociações nesse ambiente pode deixar as pessoas mais expostas a fraudes. Diante desse cenário, empresas que atuam no ambiente online, nos segmentos de marketplaces, prevenção a fraudes e transacional do Brasil, AllowMe, icarros Itaú, OLX, Unico, Who e Zoop, se uniram para a 3a edição da campanha de educação digital, “Semana da Segurança”, que acontece simultaneamente nos sites, apps e nas redes sociais das companhias, de 23 a 29 de outubro. O objetivo é alertar sobre os principais golpes que acontecem na compra e venda de bens de consumo e automóveis e como as pessoas podem se proteger.
A pesquisa de mercado, realizada para a edição deste ano, aponta que ocorreram cerca de 80 mil golpes na compra e venda de itens como celulares, roupas, itens para casa e eletrônicos no ambiente online do país de janeiro a setembro de 2023 – uma média de 9 mil golpes/mês. Em relação ao mesmo período de 2022, houve uma queda de 36%, mas ainda assim causando prejuízo a muitas pessoas.

Principais Golpes

Liderando as fraudes, com 54%, está o golpe do falso pagamento, quando o fraudador envia um comprovante falso de depósito para o pagamento do item e depois some. Entram ainda nessa categoria boletos de pagamento de lojas falsas, quando o comprador adquire um item, paga e nunca recebe. Em segundo lugar, com 22%, está a invasão de conta, quando o fraudador consegue login e senha das pessoas e acessa a conta das pessoas para realizar compras em seu nome. No período, ocorreram, em média, duas tentativas de invasão de contas por minuto. Anúncio falso aparece em terceiro lugar (21%), e o golpe ocorre quando o golpista anuncia produtos que não existem, pede o pagamento total ou parcial do item antes de enviar e depois some.

Categorias mais visadas

O prejuízo estimado com os golpes aplicados de janeiro a setembro de 2023 foi de cerca de R$ 529 milhões. Celulares são os produtos mais visados pelos golpistas (33%), seguido de videogames (24%), computadores (12%), eletrodomésticos (8%) e áudio, TV, vídeo e fotografia (7%). Dos golpes em celulares, itens da marca iPhone foram os mais visados, com 78% dos casos. Já na categoria videogames, o campeão de golpes é o Playstation (70%), seguido por Xbox (22%)

Perfil das vítimas

A maioria dos brasileiros que caíram em fraudes é de homens (73%), contra 27% de mulheres. Do total das vítimas, 71% têm até 31 anos.

A região Sudeste é a que mais teve fraudes relacionadas a bens de consumo nos primeiros nove meses do ano. O estado de São Paulo lidera com 41%; seguido por Rio de Janeiro, 15%; e Minas Gerais, 8%. A região Sul vem em segundo, com 11%: Paraná (6%), Rio Grande do Sul (3%) e Santa Catarina (2%)

O Brasil é o segundo país com mais crimes digitais, atrás apenas do México, e as fraudes são um problema comum do mercado eletrônico brasileiro. Mesmo com os investimentos realizados pelas plataformas para um ambiente mais seguro, a educação digital é essencial, por isso, o mote da campanha deste ano é: Guardiões da Segurança.

Prevenção

Enquanto os fraudadores tentam aplicar seus golpes, há um grande time de profissionais que estudam suas táticas e desenvolvem tecnologias para proteger as empresas e os consumidores. Uma dessas soluções é o uso da biometria facial, junto a outras camadas de segurança, capaz de validar a identidade dos usuários nas mais diversas transações – inclusive compras online. Só nos primeiros nove meses do ano, mais de 170 milhões de transações foram validadas pelas tecnologias de biometria facial da Unico e 3 milhões foram barradas por suspeitas de fraude. Ao olharmos especificamente o setor de varejo, foram 4,7 milhões de transações e 34,5 mil fraudes barradas.
A pesquisa indica ainda que é cada vez mais comum que a população faça compras direto por smartphones (53%), em vez de computadores (46%). No entanto, a tentativa de fraude por dispositivo é maior por computadores (1,04%), sendo mais que o dobro do que por smartphones (0,48%), identificando que os fraudadores utilizam mais desse recurso.

“Segurança e transparência, aliadas aos investimentos em tecnologia e processos preventivos, são pilares fundamentais para nós. Acreditamos que para ganhar a confiança do cliente, todo o ecossistema precisa funcionar, e a união das marcas vem para reforçar o compromisso com a sociedade. Estamos constantemente em busca de aprimorar a nossa segurança, com times compartilhados com o Itaú, focados em proteger os sistemas e os dados dos nossos usuários” afirma Eduardo Assais, CTO do icarros Itaú.

Perfil do fraudador

Ao contrário da imagem que muitos ainda têm de que golpistas atuam na calada da noite, a pesquisa mostra que 53% das tentativas de fraude aconteceram em horário comercial. A segunda-feira é o dia da semana com maior índice de fraude (21%), e o período da tarde o com mais casos (33%). No período, foram identificadas 17 tentativas de fraudes por hora com dispositivos comprometidos – aparelhos que tentam mascarar a sua verdadeira identidade para enganar os sistemas de prevenção.
“Para passarem despercebidos, os fraudadores costumam simular o comportamento dos consumidores legítimos. Tiram proveito, inclusive, de datas comemorativas e sazonais no comércio eletrônico para escalar seus golpes. Porém, como possuem recursos limitados, eles utilizam muitas vezes de poucos dispositivos para acessarem diversos perfis e realizarem transações. Muitas vezes identificamos mais de 10 tentativas de transação vindas de um único dispositivo, e isso se torna um forte indício de fraude por ser um comportamento incomum. Obviamente que cabe às empresas protegerem as transações e a identidade digital de seus clientes, mas é fundamental que a sociedade como um todo também tome conhecimento das práticas fraudulentas hoje em curso para que as pessoas não sejam vítimas dos golpes”, diz Lívia Soares, CRO do AllowMe.

Campanha Febraban

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e os bancos associados realizaram até o dia 27 a Semana da Segurança Digital, que tem o objetivo de promover a conscientização da sociedade para uso dos canais digitais de forma segura. Na ocasião foi lançada também a terceira edição da campanha de prevenção a fraudes “Pare e Pense: Pode ser Golpe”, que trará informações e dicas para que clientes bancários se protejam de golpes aplicados por criminosos. A realização da campanha prevê a atuação de parceiros importantes como Polícia Federal, Banco Central e Procons.

 (Fonte: Assessorias de imprensa)

Compartilhe

Notícias relacionadas

TOP 6
CMN e BC aprovam medidas para amenizar os efeitos da calamidade pública no RS
O Banco Central monitorará continuamente o funcionamento da intermediação financeira na regiãoEm reunião extraordinária no...
TOP 6
Competição voltada às tecnologias para finanças sustentáveis abre inscrições
Quinta edição do G20 TechSprint foi lançada pelo Banco Central (BC) e o Centro de...
TOP 6
Celcoin adquire startup especializada em regulação bancária e fiscal
Reg+ representa a quarta aquisição em dois anos, e reforça o investimento da empresa em...
TOP 6
Programa Celular Seguro é desconhecido por 40% da população, aponta pesquisa
Levantamento encomendado pela Febraban mostra que 29% dos entrevistados não estão interessados na plataformaAté o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top