Gratuidade do Pix pode derrubar em até 8% a receita dos bancos brasileiros com tarifas, estima Moody’s

Gratuidade do Pix pode derrubar em até 8% a receita dos bancos brasileiros com tarifas, estima Moody’s

Por Edilma Rodrigues 

O Pix, sistema de pagamento instantâneo do Banco Central (BC) que será gratuito para pessoas físicas, pode gerar perdas de até 8% nas receitas com tarifas dos bancos brasileiros. A estimativa é da agência de classificação de risco Moody’s, que divulgou relatório ontem (7), assinalando que: “os bancos atualmente ganham uma tarifa fixa com as transferências entre contas bancárias, mas o Pix não cobrará essas taxas, principalmente para pessoas físicas, conforme determinação do Banco Central,” conta matéria do Valor Invest.

“A isenção de tarifas é negativa para os bancos brasileiros, que perderão receitas de tarifas com transferências de dinheiro. O Pix será um concorrente direto dos sistemas de pagamento existentes, incluindo transferências eletrônicas de dinheiro (TED) e pagamentos com cartão de débito, devido ao seu método de pagamento digital mais barato e rápido”, disse a Moody’s no relatório.

Além disso, segundo a Moody’s, o Pix tem potencial de reduzir as receitas de tarifas bancárias provenientes do processamento de pagamentos com cartão de débito, por meio do qual os bancos integrados verticalmente (emissores e adquirentes de cartões) cobram as taxas de desconto de comerciantes e taxas de intercâmbio. “Esses fluxos de tarifas serão pressionados à medida que o sistema Pix se tornar um substituto para o uso do cartão de débito.”

De acordo com a matéria do Valor Invest, O Moody’s lembra que esse novo sistema de pagamentos surge em um momento em que taxas de juros estão em níveis recordes de baixa e os riscos de ativos relacionados à pandemia do coronavírus pressionam as margens financeiras e a lucratividade dos bancos. As despesas com provisionamento, que aumentaram 42% no primeiro semestre de 2020 em relação ao ano anterior, também irão pressionar a lucratividade”, diz a matéria do Valor Invest.

“Como o Pix funcionará 24 horas por dia em sete dias da semana (24/7) durante todo o ano e todos os bancos e empresas de pagamento (incluindo as fintechs) com 500 mil clientes ou mais são obrigados a aderir ao sistema, a grande maioria dos bancos de varejo, particularmente os maiores que dominam o sistema de pagamentos tradicional, será prejudicada,” finaliza a publicação.

Fonte: Valor Invest

Compartilhe

Notícias relacionadas

Blog
Mudança na natureza jurídica da ANPD fortalece aplicação da LGPD
Por Edilma Rodrigues A Medida Provisória (MPV) nº 1.124, de 13 de junho de 2022 assinada pelo...
Blog
Mercado Pago usa tecnologia de segurança da Mastercard para criptos
A carteira digital do Mercado Livre, o Mercado Pago, vai usar
Blog
Ant Group lança banco digital para micro, pequenas e médias empresas em Singapura
O ANEXT Bank, banco digital de atacado de Singapura e parte do Ant Group, anunciou...
Blog
Cetelem vai reduzir 6 mil toneladas de CO² com emissão de cartões reciclados
O Banco Cetelem Brasil emitiu cerca de 370 mil cartões de plástico reciclado, desde o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top