Governança de IA: como desenvolver inovação em conformidade legal

Por Patricia Peck, CEO e sócia fundadora do Peck Advogados e conselheira titular do Conselho Nacional de Proteção de Dados (CNPD)

 

O fortalecimento da economia digital e das aplicações em diversos setores nos mostra o quanto a inteligência artificial pode beneficiar nosso dia a dia. Do setor financeiro, da área de transportes até chegar à saúde, nossa rotina já está repleta de algoritmos que ajudam a ter mais eficiência e trazem segurança para vida humana e bem-estar social.
Mas, como toda inovação, essas tecnologias precisam ser pensadas para atender a padrões éticos desde sua concepção – o que significa definir claramente a origem e legitimidade das bases de dados que vão alimentar o machine learning, bem como saber instruir e orientar o aprendizado de máquina para reduzir os riscos de desvios.
Temos de lembrar que toda criação envolve criador e criatura, e que a responsabilidade vai recair sobre quem criou (responsabilidade de fabricante), mas também pode haver algum tipo de responsabilidade de uso. Sendo assim, a modelagem da IA requer uma metodologia que siga padrões técnicos e legais, com uma sequência de requisitos e validações para ir aprimorando a solução conforme o uso, dentro de uma abordagem de feedback (lições aprendidas e atualizações).
Por certo, faz-se essencial aplicar pilares relacionados à cibersegurança e à propriedade intelectual, visto que é mais uma tecnologia que envolve necessidade de proteção de ativos, além de controles relacionados ao grau de autonomia que se quer alcançar, para que tenha supervisão humana e siga as melhores práticas internacionais.

Essa não é uma decisão isolada. É o tipo de transformação que vai trazer grandes impactos sociais e coletivos, mudar a forma como trabalhamos e nos relacionamos. Daí a importância de uma regulamentação. Para tanto, é preciso seguir um formato de autorregulação regulada, próxima da indústria, para evitar obsolescência imediata, de modo que seja dinâmica e acompanhe a velocidade com a qual a própria tecnologia vai acelerar. A IA impactará profundamente nossa vida hoje e no futuro. E precisa ser ética, segura e sustentável. 

Esse artigo faz parte da revista digital e-CANTA Banking Anywhere. Baixe aqui o material completo.

Compartilhe

Notícias relacionadas

Ponto de vista
O papel da tecnologia nas finanças sustentáveis
por Maurício Augusta, 7COMmNo cenário contemporâneo, a interseção entre finanças e sustentabilidade emergiu como um...
Ponto de vista
Banco do futuro: por que empresas de outros setores estão de olho na oferta de serviços bancários
por Carlos Eduardo Benitez é CEO da BMPHá cerca de 30 anos, as pessoas que precisavam...
Ponto de vista
Sua empresa está preparada para tokenizar?
por Sérgio Yamani, diretor de inovação da 7COMm   Com a chegada da tokenização, uma...
Ponto de vista
Tecnologia de ponta na criação de score de crédito inovador
Por Leandro Bartolassi, Diretor de Estratégia de Dados da ClearSaleA ClearSale, por meio de seu...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top