Especialista prevê que preço do bitcoin pode chegar a US$ 50,000

Em entrevista à nossa reportagem, durante a conferência anual da ABES, ontem (18), o especialista internacional em bitcoin e CEO da Blockchain of Things, André Castro, comenta os recentes acontecimentos no mercado de bitcoin, fala sobre regulação e tendências. As perspectivas do executivo são animadoras. Ele prevê que dentro de quatro ou cinco anos o preço do bitcoin vai estar entre US$ 30,000 e US$ 50,000.

Para o especialista a blockchain é uma tecnologia que não vai desaparecer. “Está crescendo hoje e não vai parar de crescer. Ninguém vai conseguir controlar. É inovação. A tecnologia vai seguir em frente, mesmo que governos não apoiem e os que não apoiam vão ficar para trás”.

Sobre a proibição da comercialização de bitcoins na China, Castro afirma que o mercado já viu isso ocorrer antes, há mais ou menos um ano, um ano e meio, quando o banco central chinês disse que o bitcoin era ilegal. “Dois meses depois, voltou atrás e informou que apenas iria colocar alguns controles,” explica e acrescenta: “Essa ação (dos últimos dias) foi mais contra o fato de muitas pessoas estarem investindo em ICOs. O que eu acho que vai ocorrer é que a China vai ver que precisa fazer parte da nova economia e vai impor certos regulamentos. Deve demorar alguns meses, mas vamos ter essa mudança”, avalia.

Castro salienta que para evitar ICOs criminosos, o caminho é educar as pessoas a pesquisarem antes de investir. Ele distingue o ICO ilegal, que pode se dar por diferenças de regulamentos entre países, ou seja, é ilegal em um país, mas não em outros. E afirma que existem ICOS praticados por ladrões. “Como conseguir parar isso? É muito difícil porque a criptomoeda, em si, é difícil de controlar. A China tenta controlar o Facebook, o Google, mas lá todos usam VPN e acessam. O grande muro da China não ajuda muito”.

Regulação

Quando perguntamos sobre sua opinião a respeito da declaração de economistas do banco central finlandês sobre não haver necessidade de regulamentar o bitcoin por seu sistema estar comprometido com um protocolo de confiança, Castro afirma que concorda e explica: “a blockchain é um livro de controle criptográfico, que é transparente, então, acredito que com o tempo os governos vão ver que este é o maior presente que eles receberam”. E compara as preocupações atuais com as que aconteceram quando surgiu a internet: “Todos os governos diziam que a internet era contra a Lei, que seria usada para pornografia. É uma reação às tecnologias novas. Não acho que tenha diferença do que ocorreu no começo da internet com o que está ocorrendo hoje. A diferença é que o potencial disruptivo do bitcoin tem muito mais potencial porque lida com dinheiro”.

Compartilhe

Notícias relacionadas

Blog
Mudança na natureza jurídica da ANPD fortalece aplicação da LGPD
Por Edilma Rodrigues A Medida Provisória (MPV) nº 1.124, de 13 de junho de 2022 assinada pelo...
Blog
Mercado Pago usa tecnologia de segurança da Mastercard para criptos
A carteira digital do Mercado Livre, o Mercado Pago, vai usar
Blog
Ant Group lança banco digital para micro, pequenas e médias empresas em Singapura
O ANEXT Bank, banco digital de atacado de Singapura e parte do Ant Group, anunciou...
Blog
Cetelem vai reduzir 6 mil toneladas de CO² com emissão de cartões reciclados
O Banco Cetelem Brasil emitiu cerca de 370 mil cartões de plástico reciclado, desde o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top