Rodrigo Mulinari

“Atualmente, um cliente inicia uma relação e interage com o banco de forma totalmente digital, sem nunca precisar ir a um ponto físico, algo impensável no início de minha trajetória.”
Diretor de Tecnologia do Banco do Brasil e do Comitê de Inovação e Tecnologia da Febraban, Rodrigo Mulinari vem desenvolvendo ao longo de sua carreira projetos que usam a tecnologia de maneira inovadora para impulsionar todo o segmento financeiro, estimulando o pioneirismo do setor no país.Esse posicionamento garantiu ao executivo o reconhecimento como Personalidade Financeira em Inovação no PBT 2022.

Nesta entrevista, ele aponta os principais avanços tecnológicos nos últimos anos e faz suas apostas sobre os próximos passos do setor.

Em sua trajetória profissional, você tem acompanhado a evolução tecnológica e o surgimento de inovações no setor financeiro. Quais seriam, em sua opinião, os principais marcos nesse sentido?  

Atuo há 21 anos no setor de tecnologia bancária. Nesse período, primeiro vimos um salto de transações por internet e depois por mobile, que é o principal canal de relação dos clientes com os bancos brasileiros. Dessa forma, posso dizer que acompanhei duas grandes ondas do autoatendimento bancário. Outros marcos do setor foram o surgimento do open finance e a implantação do Pix. Tudo isso permitiu uma revolução no setor, com um grande processo de transformação digital nas instituições financeiras. Hoje em dia,  um cliente interage com o banco de forma totalmente digital, sem nunca precisar ir a um ponto físico, algo impensável no início de minha trajetória.  

Você acredita que o Brasil é hoje um influenciador no que diz respeito às tendências de inovação e tecnologia no setor bancário mundial? 

Acredito que o Brasil seja uma das referências no mundo em tecnologia bancária. Atualmente, poucos países têm um open finance em um estágio tão avançado como o nosso. Temos 7 milhões de brasileiros com consentimentos ativos, em pouco mais de um ano de operação da fase 2, algo que o Reino Unido não fez no mesmo período. O Pix também é um belo trabalho, sendo referência para o mundo em segurança nas transferências bancárias.  

Gostou do conteúdo?

CONTINUE LENDO ESSA ENTREVISTA NO INFORMATIVO CB ESPECIAL | PRÊMIO BANKING TRANSFORMATION 2022.

Compartilhe

Notícias relacionadas

Entrevistas
Ensino de base, educação financeira e a Agenda BC#
Luis Mansur, do Banco Central, fala sobre o papel do órgão frente ao tema educação...
Entrevistas
Transformação e eficiência tecnológica na jornada de Luis Bittencourt
Promovido a vice-presidente de tecnologia e operações da F1rst – braço do Santander –, ele...
Entrevistas
Liderança feminina no setor financeiro: as inspirações de Walkiria Marchetti
Executiva recém aposentada foi a primeira mulher a ocupar o cargo no Bradesco e recebeu...
Entrevistas
Tarciana Medeiros
Presidenta do Banco do Brasil destaca o comprometimento de sua gestão com a equidade de...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top