Em um mês, Pix movimenta mais de R$ 83 mi e contabiliza 92,5 mi de operações

Em um mês, Pix movimenta mais de R$ 83 mi

Por Edilma Rodrigues

O Pix, pagamentos instantâneos do Banco Central, movimentou R$ 83,4 bilhões em transações no primeiro mês de funcionamento. Ao todo foram 92,5 milhões de operações em todo o país. O total de chaves cadastradas foi de 116 milhões, das quais 110,9 milhões por pessoas físicas e 5,1 milhões por empresas. Os dados foram divulgados esta manhã pelo BC, em evento online.

class=wp-image-11756/

As chaves, como disse o diretor de organização do Sistema Financeiro e resolução do Banco Central, João Manoel Pinho de Mello, é uma conveniência para identificar para onde vai o dinheiro. Ele compara, no caso de transferência de recursos, a TED ou Doc, que a pessoa precisa incluir várias informações – número do banco, agência, conta, nome e CPF – para o envio, com o Pix, que precisa apenas de uma. 

A chave Pix pode ser o CPF ou CNPJ, e-mail, número do celular ou uma chave aleatória gerada pela instituição. Uma mesma pessoa pode cadastrar várias chaves. Assim, o BC informa que o total de pessoas que cadastraram uma ou mais chaves foi de 46,4 milhões e 3 milhões de empresas.

O chefe do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro (Decem) do Banco Central, Ângelo Duarte, comenta que o primeiro mês é um período de adoção do Pix. “As pessoas começaram a ficar mais íntimas com as a opção de pagamento, tanto pessoas físicas, quanto pequenos empreendedores e grandes empresas.” A expectativa do BC, continua Duarte, é que a adoção por empresas seja mais lenta e aconteça à medida que novas funcionalidades sejam ofertadas.

Ticket médio de 896 reais

O valor médio das transações feitas com o Pix, ou ticket médio, foi de 896 reais, sendo que tanto por volume financeiro (44%) quanto pela quantidade de transações (84%), as transferências de dinheiro entre pessoas (P2P) lideraram no período.

class=wp-image-11757/

O diretor de organização do sistema financeiro e resolução do Banco Central, João Manoel Pinho de Mello, ressalta que o Pix é multiuso, além das transferências, ele pode ser usado para pagamentos de compras no varejo, de conta de luz etc.

De fato, o BC anunciou hoje (16) que, o acordo firmado com o Sindicato Nacional de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), permite pagar faturas de celular e fazer recarga de serviços pré-pagos também com o Pix.

Compartilhe

Notícias relacionadas

Blog
Mudança na natureza jurídica da ANPD fortalece aplicação da LGPD
Por Edilma Rodrigues A Medida Provisória (MPV) nº 1.124, de 13 de junho de 2022 assinada pelo...
Blog
Mercado Pago usa tecnologia de segurança da Mastercard para criptos
A carteira digital do Mercado Livre, o Mercado Pago, vai usar
Blog
Ant Group lança banco digital para micro, pequenas e médias empresas em Singapura
O ANEXT Bank, banco digital de atacado de Singapura e parte do Ant Group, anunciou...
Blog
Cetelem vai reduzir 6 mil toneladas de CO² com emissão de cartões reciclados
O Banco Cetelem Brasil emitiu cerca de 370 mil cartões de plástico reciclado, desde o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top