Crédito: Canva

Governo lança medidas para fortalecer o empreendedorismo feminino no Brasil

Objetivo é salientar su papel como instrumento de inclusão social e econômica
O governo federal publicou no último dia 11, no Diário Oficial da União (DOU), o decreto que cria a Estratégia Nacional de Empreendedorismo Feminino. O objetivo é contribuir com a promoção do empreendedorismo feminino no Brasil como instrumento de inclusão social e econômica. A medida estabelece as bases para a “Estratégia Elas Empreendem” e cria o “Comitê de Empreendedorismo Feminino”.
O ministro do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, Márcio França, comemorou a medida como um marco para o empreendedorismo no país. Segundo ele, as ações previstas no decreto reafirmam o compromisso do governo com a promoção do empreendedorismo feminino, apoiando mais de 10,3 milhões de mulheres empreendedoras, que representam 34% do setor no Brasil. “A iniciativa representa um avanço na criação de um ambiente mais inclusivo e favorável às MPEs, com mais liberdade empresarial, simplificação normativa e administrativa, implementação de programas de fomento, entre outros benefícios”, avaliou o ministro.
A especialista em empreendedorismo feminino do Sebrae, Renata Malheiros, destacou a importância de unir diferentes órgãos, tanto do governo, quanto da sociedade civil e da iniciativa privada, com um mesmo objetivo. Ela acredita que a interdisciplinaridade proposta nessa ação vai ao encontro da realidade, onde a mulher empreendedora está presente em todos os segmentos da economia, desde a agricultura até a indústria.

“As mulheres empreendedoras, infelizmente, ainda enfrentam desafios enraizados na nossa cultura, como a sobrecarga de trabalhos domésticos, que não deixam tempo para que elas possam se dedicar às suas empresas como elas precisam. Então, é muito importante que o Comitê e a Estratégia Nacional de Empreendedorismo Feminino trabalhem essas questões”, comentou.

“Eu acredito que a gente vá conseguir fazer um trabalho articulado, porque realmente é preciso uma rede para poder superar essas barreiras culturais que as mulheres empreendedoras ainda enfrentam e fazer o trabalho da maneira mais coordenada possível”, argumentou especialista do Sebrae.

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Compartilhe

Notícias relacionadas

Subsea7 abre Programa de Estágio 2024 para diversas áreas
Os estudantes aprovados terão carga horária de quatro a seis horas diárias, em sistema de...
Mercado Bitcoin e Nathalia Arcuri promovem educação financeira de criptoeconomia
O objetivo é explorar diferentes temas do universo de criptoativos para democratizar o acesso aos...
Com vagas afirmativas, Núclea abre inscrições para novo programa de trainee
Oportunidade é voltada para formados em cursos de exatas e humanas e 100% das vagas...
Clariant, John Deere e outras empresas anunciam 90 vagas em programas de estágio
As oportunidades são para os estados de São Paulo, Bahia, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top