Desenrola Brasil tem início e instituições financeiras aderem ao programa

Inadimplência no Brasil tem queda pela primeira vez em 2023, diz Serasa
por Ana Carolina Lahr
O programa Desenrola Brasil, do Governo Federal, teve início na segunda-feira (17). Na primeira fase, acontecem a limpeza do nome de quem tem dívidas de até 100 reais e a renegociação de débitos com bancos por devedores com renda de até 20 mil reais.
Ao longo da semana, diversas instituições lançaram suas condições especiais para renegociação de dívidas.  A Serasa, por exemplo, por meio do Serasa Limpa Nome – plataforma online voltada à reabilitação de crédito dos brasileiros – foi escolhida como parceira por algumas das principais instituições financeiras do país para ser um dos canais de negociações. “Em até três minutos, e de maneira gratuita, é possível negociar diretamente pelo aplicativo ou site da Serasa, usufruindo de toda a segurança que nosso ecossistema oferece”, explica Aline Maciel. O aplicativo da Serasa está disponível no Google Play e na App Store.
Já o Banrisul informou que está realizando as ações necessárias para atendimento das renegociações nas condições previstas, com prazo legal para conclusão até o dia 27 deste mês. “Vamos participar desta importante iniciativa do Governo Federal. A nossa atuação tem sido de forma constante e com o compromisso pela busca das melhores alternativas de renegociação aos nossos clientes”, frisou o diretor de Crédito do banco, Osvaldo Lobo Pires.
O incentivo para que as instituições financeiras participem da primeira fase se dá por meio da antecipação de créditos presumidos. Para cada um real de desconto concedido aos devedores, a instituição financeira lança 1 real de crédito presumido no balanço. Além disso, a retirada das dívidas de até 100 reais do cadastro negativo é condição obrigatória para as instituições financeiras que aderirem ao Desenrola e, com isso, as adesões já começam a se consolidar. O Nu Bank foi o último a anunciar a adesão, o que aconteceu na quarta-feira (19) e, com ele, o total de brasileiros nesse perfil que terão o nome limpo pode chegar a 2,5 milhões. Com a ação, a dívida não é perdoada, mas o devedor deixa de ficar com o nome sujo e pode contrair novos empréstimos e fazer operações como fechar contratos de aluguel.

Fraudes

Logo após o lançamento do programa, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) lançou um alerta público sobre possíveis golpes envolvendo o Desenrola, com uma série de recomendações para evitar desconfortos. Segundo o comunicado, “os criminosos podem aproveitar o programa para aplicar golpes por meio de links falsos e através da engenharia social, que usa técnicas para enganar o indivíduo para que ele forneça dados confidenciais, além de realizar transações financeiras para o golpista”.
Dessa forma, a Federação reforçou que os cidadãos interessados em renegociar as dívidas dentro do Programa Desenrola Brasil devem buscar informações somente dentro dos canais oficiais dos bancos que aderiram ao programa, como agências, no internet banking ou em seus aplicativos bancários. “É muito importante que o cliente não clique em links recebidos por aplicativos de mensagens, de redes sociais e em links patrocinados em sites de busca. Faça você mesmo o contato com o seu banco. Fique atento para que não sejam aceitas propostas de envio de valores com a finalidade de garantir melhores condições de renegociação das dívidas. Reforçamos que somente é possível renegociar as dívidas nos canais oficiais dos bancos”, alerta Adriano Volpini, diretor do Comitê de Prevenção a Fraudes da Febraban.
A Federação também orientou que, caso o cliente desconfie de alguma proposta ou valor, entre em contato com o banco nos seus canais oficiais. “Somente após a formalização de um contrato de renegociação é que o cidadão pode ter os valores debitados de sua conta, nas datas acordadas. Se a cobrança for feita em boleto, é importante checar na hora do pagamento se o mesmo está sendo feito realmente para a instituição financeira com a qual o cliente tem a pendência”, reforçou na nota.

Inadimplência cai

Segundo o Mapa de Inadimplência da Serasa, até o mês de junho, o total de inadimplentes no Brasil correspondia a 43,78% da população adulta. Apesar disso, após a série de altas ao longo de 2023, a inadimplência no Brasil teve a primeira queda no ano ao atingir 71,45 milhões de negativados.
“Apesar do cenário econômico ainda desfavorável, com inflação e juros altos, a primeira queda na inadimplência do ano representa um dado significativo e que pode sinalizar melhoras na saúde financeira dos consumidores”, avalia Aline Maciel, gerente do Serasa Limpa Nome.

Em relação a maio, a redução foi de 450 mil pessoas inadimplentes no país sobre os 71,9 milhões de endividados no período (-0,63%), interrompendo assim uma sequência de aumento da inadimplência ao longo deste ano.

(Com assessorias de imprensa)

Compartilhe

Notícias relacionadas

TOP 6
CMN e BC aprovam medidas para amenizar os efeitos da calamidade pública no RS
O Banco Central monitorará continuamente o funcionamento da intermediação financeira na regiãoEm reunião extraordinária no...
TOP 6
Competição voltada às tecnologias para finanças sustentáveis abre inscrições
Quinta edição do G20 TechSprint foi lançada pelo Banco Central (BC) e o Centro de...
TOP 6
Celcoin adquire startup especializada em regulação bancária e fiscal
Reg+ representa a quarta aquisição em dois anos, e reforça o investimento da empresa em...
TOP 6
Programa Celular Seguro é desconhecido por 40% da população, aponta pesquisa
Levantamento encomendado pela Febraban mostra que 29% dos entrevistados não estão interessados na plataformaAté o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top