Bossanova Investimentos tem novos sócios que agregam expertises em comunicação e administração

Bossanova Investimentos tem novos sócios que agregam expertises em comunicação e administração

Por Edilma Rodrigues

A Bossanova Investimentos, venture capital da América Latina, anuncia a entrada de dois novos sócios: Lessandro Herbert, CEO da Hebert Engenharia e da Coppi Empreendimentos, e a CaptAll Ventures, vertical de inovação da Mene & Portella (M&P), um dos maiores grupos de comunicação do Brasil, com 14 empresas e faturamento na ordem de 250 milhões de reais. A movimentação marca mais um passo da gestora na preferência por sócios com nomes que já passaram pelos comitês de investimento da empresa. O contrato foi assinado esta semana (06) e o valor da transação não foi divulgado.

Com a CaptAll Ventures, a gestora ganha a expertise em publicidade e comunicação e Lessandro Hebert vai fortalecer o conselho em questões de administração.

A decisão acontece em meio ao crescimento expressivo da gestora mesmo frente à desaceleração de aportes no setor de tecnologia. De acordo com estudo global da americana PitchBook Data, uma das principais empresas fornecedoras de dados sobre capital privado do mundo, a Bossanova foi a 15ª venture capital mais ativa em early stage no segundo trimestre deste ano — único nome da América Latina no ranking. Também foi apontada como a 8ª venture capital mais ativa em investimentos feitos fora do eixo EUA, Europa e China no mesmo período.

“Temos a mentalidade de valorizar quem agrega ao crescimento da Bossanova. Desde que a CaptAll Ventures e o Lessandro Herbert começaram a investir conosco, viemos estreitando nossa relação, percebendo que as especialidades e as experiências que eles carregam poderiam se unir com nossos planos futuros e trazer para nós um dinamismo ainda maior no mercado”, explica o fundador e CEO da empresa, João Kepler. 

Segundo o executivo, na hora de formar o portfólio, os sócios também são responsáveis por analisar e atrair as startups nas verticais, momento em que suas atuações em diferentes mercados ganham peso — como Janguiê Diniz na área de educação e Thiago Oliveira, na área de comércio exterior. 

CaptAll Ventures agrega expertise em publicidade e comunicação

Com a participação da CaptAll Ventures, a gestora ganha a expertise em publicidade e comunicação dos sócios e fundadores Túlio Mêne Melo e Nilio Braga Portella, com o objetivo também de criar comitês de investimentos focados em suas áreas. O momento faz parte do processo de expansão da M&P, que recentemente também entrou como sócia na Non Stop, empresa especializada em marketing de influência e conteúdo on demand, responsável por nomes como Whindersson Nunes, Gkay e Simone Mendes. 

“Estamos em plena expansão para tornar o grupo M&P ainda maior. A entrada na Non Stop e, agora, na Bossanova, abre novas possibilidades de negócios, principalmente com empresas de tecnologia, que é o foco da CaptAll”, conta Mêne. “Temos grandes desafios pela frente para impulsionar a Bossa a crescer em um ritmo ainda mais acelerado nos próximos anos”, completa Portella.

Lessandro Herbert fortalece questões administrativas

Com mais de 20 anos de gestão no setor de engenharia e manutenção de obras industriais, a entrada de Lessandro Hebert acontece para fortalecer o conselho em questões de administração. Há seis anos invisto nos comitês da Bossanova, por isso consegui ver de perto o comprometimento da empresa em fortalecer e democratizar o investimento em startups. Meus objetivos como empresário se alinham com os planos de expansão da companhia, então juntamos forças para crescermos juntos”, conta Hebert.

Desde o início da sua operação, em 2015, a Bossanova vem expandindo com a ajuda de novos sócios. Em 2017, anunciou a chegada do Grupo BMG, que entrou para estruturação do backoffice, investindo em compliance e governança. O empresário Thiago Oliveira, fundador da empresa de logística IS Log & Services, e o Grupo Primo, liderado pelo investidor e youtuber Thiago Nigro, entraram no negócio, respectivamente, em 2018 e em 2020 — atuando nas frentes de gestão ágil e divulgação. Em 2021, o empreendedor Janguiê Diniz, fundador da Ser Educação, adquiriu parte do quadro. Hoje, são mais de 1,6 mil startups e 75 exits no portfólio.


No primeiro semestre de 2022, a Bossanova investiu R$26,8 milhões em startups, mais que o dobro em volume de investimentos em comparação com o mesmo período do ano anterior, com R$13 milhões. Em número de startups investidas diretamente, foram 85 startups do Brasil e do exterior. Em 2021, foram sete a menos. 


Com informações da assessoria de imprensa

Compartilhe

Notícias relacionadas

TOP 6
CMN e BC aprovam medidas para amenizar os efeitos da calamidade pública no RS
O Banco Central monitorará continuamente o funcionamento da intermediação financeira na regiãoEm reunião extraordinária no...
TOP 6
Competição voltada às tecnologias para finanças sustentáveis abre inscrições
Quinta edição do G20 TechSprint foi lançada pelo Banco Central (BC) e o Centro de...
TOP 6
Celcoin adquire startup especializada em regulação bancária e fiscal
Reg+ representa a quarta aquisição em dois anos, e reforça o investimento da empresa em...
TOP 6
Programa Celular Seguro é desconhecido por 40% da população, aponta pesquisa
Levantamento encomendado pela Febraban mostra que 29% dos entrevistados não estão interessados na plataformaAté o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top