2_bndes_fintech

BNDES busca fintechs para ampliar crédito a MPMEs

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou esta semana consulta pública para selecionar fintechs para prestar serviços para micro, pequenas e médias empresas, em conjunto o seu Canal Desenvolvedor, destinado a companhias desses portes. Para participar da seleção, que tem inscrição até 15 de março, as startups de tecnologia financeira terão de ser constituídas legalmente no Brasil e sua ferramenta deve estar em operação no mercado há pelo menos um ano.

Além disso, as fintechs que atendem a pelo menos 50% dos requisitos listados em um dos quatro segmentos do edital (educação financeira; análise de crédito, matching de soluções financeiras, leilões reversos de crédito para financiamento), ainda vão passar por prova de conceito.

O Canal Desenvolvedor MPME do BNDES, lançado em junho do ano passado, é uma plataforma de negócios que visa aproximar o banco de empreendedores menores para concessão de crédito e de outros serviços. Agora, a consulta pública quer agregar, a exemplo de outras instituições que fomentam parcerias com fintechs, soluções que apoiem suas operações. De acordo com o jornal Valor Econômico, esta é a primeira iniciativa do BNDES com essas startups.

Apenas depois da prova de conceito é que o banco vai discutir um modelo de negócios com as fintechs. O modelo de negócio está em aberto. Não deve ser um modelo único, mas um modelo que depende do serviço a ser prestado, assinalou o diretor da área de operações indiretas do BNDES, Ricardo Ramos, ao Valor. O executivo também disse que a ideia é que as fintechs se conectem ao Canal Desenvolvedor do BNDES se valendo das chamadas APIs (interface de programação de aplicativos, na sigla em inglês). Nossa visão é ter um canal no futuro no modelo de open banking, que vai prover serviços mais do que prover crédito direto, disse Ramos.

Como se sabe, os APIs se configuram num dos principais meios para viabilização do Open Banking, tendência de mercado que permite o acesso de terceiros a informações financeiras dos clientes, desde que consentido, e facilita a oferta de serviços. Na visão de Ramos, ao seguir esse caminho em parceria com as fintechs, o banco poderá oferecer mais serviços e acesso à informação e ao crédito para empresas menores. Pela ótica regulatória, a instituição financeira já vem discutindo a atuação das fintechs com a Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE) e com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O Sebrae, que também participa das discussões, assinou com o BNDES, no dia 17, acordo de cooperação com ações de acesso a financiamento, de garantia de crédito e de orientação empresarial que visa  beneficiar até 280 mil empresas de pequeno porte. 

Fontes: BNDES e Valor Econômico

Compartilhe

Notícias relacionadas

Blog
Mudança na natureza jurídica da ANPD fortalece aplicação da LGPD
Por Edilma Rodrigues A Medida Provisória (MPV) nº 1.124, de 13 de junho de 2022 assinada pelo...
Blog
Mercado Pago usa tecnologia de segurança da Mastercard para criptos
A carteira digital do Mercado Livre, o Mercado Pago, vai usar
Blog
Ant Group lança banco digital para micro, pequenas e médias empresas em Singapura
O ANEXT Bank, banco digital de atacado de Singapura e parte do Ant Group, anunciou...
Blog
Cetelem vai reduzir 6 mil toneladas de CO² com emissão de cartões reciclados
O Banco Cetelem Brasil emitiu cerca de 370 mil cartões de plástico reciclado, desde o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top