Metade dos brasileiros esquece a senha minutos após usá-la, diz C6 Bank/Ipec

Metade dos brasileiros esquece a senha minutos após usá-la, diz C6 Bank/Ipec


Por Edilma Rodrigues

Você já se esqueceu da senha que acabou de registrar em um site ou aplicativo? Saiba que não está sozinho. Segundo pesquisa C6 Bank/Ipec que ouviu 2 mil brasileiros das classes A B e C, com acesso à internet, quase metade (48%) já se esqueceu da senha cinco minutos depois de usá-la.

Esse esquecimento talvez ajude a explicar a razão pela qual 33% dos entrevistados disseram que preferem usar códigos fáceis de decorar, mesmo sabendo que eles não são seguros. Para se ter uma ideia da falta de segurança, 10% admitiram que usaram a palavra ‘senha’ na hora de salvar uma em site ou aplicativo.

O líder de cibersegurança do C6 Bank, José Luiz Santana, comenta que as combinações óbvias de senhas, como 1234 ou data de aniversário, são as primeiras a serem testadas por criminosos e justamente por isso devem ser evitadas. “Use uma senha diferente para cada site ou serviço e evite reutilizar as mais importantes. Escolha combinações fortes, preferencialmente as alfanuméricas”, aconselha.

Mas nem mesmo o esquecimento é motivo para continuar usando senhas fracas. “Existem gerenciadores de senha que ajudam as pessoas a se lembrar das combinações usadas para cada aplicativo. Esse recurso é mais prático e seguro, uma vez que exige a memorização de uma única senha de acesso que, por sua vez, pode ser mais complexa”, afirma Santana.

Boas práticas de segurança

Além de senhas seguras, recomenda-se que os usuários adotem boas práticas de segurança na hora de fazer transações pela internet, como usar, preferencialmente, a conexão 3G, 4G ou 5G de seus smartphones para acessar apps financeiros. Mas, a pesquisa mostrou que 34% dos brasileiros já usaram uma rede pública de wi-fi para acessar a conta do banco ou fazer compras online.

“Essa não é uma boa prática de segurança, pois essas redes são mais vulneráveis e, por isso, mais fáceis de serem interceptadas por fraudadores”, alerta o executivo.

Outra medida que ajuda a evitar invasões é manter o sistema operacional do celular atualizado, um hábito adotado por 86% dos entrevistados, segundo a pesquisa.

Redes sociais e conta de e-mail

A pesquisa revelou também que apenas 15% dos entrevistados já tiveram a conta de e-mail invadida. Esse percentual sobe para 21% quando são questionados sobre invasão em uma conta de rede social.

Para diminuir os riscos, o especialista em cibersegurança do C6 Bank também orienta a utilizar, sempre que possível, a autenticação de dois fatores nos aplicativos.

A pesquisa C6 Bank/Ipec foi realizada entre os dias 20 e 27 de maio. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Com informações da assessoria de imprensa


Fique atualizado em relação as principais notícias do setor. Inscreva-se na Newsletter e nos acompanhe nas Redes Sociais (Facebook, Linkedin, Twitter e Instagram).