Aconteceu na semana


Fernando Chacon deixa o Itaú Unibanco
25 de abril

Após uma carreira de 22 anos no Itaú, Fernando Chacon, que nos dez últimos anos ocupou o cargo de diretor executivo de marketing do banco e foi CEO da Rede entre 2016 e 2017, está deixando a companhia. Quando passou, no fim de 2017, a função na Rede para Marcos Magalhães, Chacon também retomou no Itaú áreas como relações com governo, sustentabilidade, comunicação corporativa e microcrédito. Com sua saída – ele fica no cargo até 30 de abril – haverá uma reestruturação no marketing do banco e nas outras áreas citadas. Das duas diretorias de marketing, uma continua sendo ocupada por Eduardo Tracanella (diretor de marketing institucional e atacado) e a outra será assumida, em maio, por Guilhermo Bressane, que deixará o cargo de diretor de negócios do Google. Ele será responsável por marketing de negócios de varejo.  “Apesar de os nomes darem impressão de que terão responsabilidades distintas, eles atuarão numa relação muito próxima, envolvendo questões como design, canais digitais, patrocínios e mídia. Ambos serão efetivamente responsáveis pelo marketing do Itaú e a minha função executiva não será reposta”, afirma Chacon. Luciana Nicola, que até então cuidava com Chacon das áreas de sustentabilidade e relações institucionais se reportará ao Comitê Executivo do banco. Já Leandro Modé, responsável pela comunicação corporativa, fica também com relações com governo e irá se reportar a uma diretoria executiva ligada ao Jurídico e Ouvidoria. O destino de Fernando Chacon, a partir de agora? Ele brinca que a ideia é não ter destino. Contando, em seguida, ter feito um plano para sair do ambiente corporativo até os 55 anos de idade e realiza isso agora, aos 53. “Quero me desintoxicar um pouco. Ter tempo para recuperar a gestão do tempo, poder respirar com mais calma. Organizar a vida e cuidar mais do corpo e da mente”, diz.

Fonte: Meio & Mensagem

Monetize apresenta ferramentas para incrementar resultados e ticket médio
24 de abril

A Monetizze, plataforma de intermediação de pagamentos online, anuncia mudanças em suas ferramentas que prometem mais resultados de vendas e aumento do ticket médio: novo dashboard permite melhor visualização dos resultados dos clientes na plataforma, como medir e comparar as vendas em diferentes períodos. ”Para o produtor é importante entender como as vendas se comportam para que ele consiga traçar melhor as suas estratégias”, explica o CEO da Monetizze, Márcio Motta. Outro recurso é o Order Bump, ferramenta que possibilita ao comprador adquirir outro produto relacionado à compra que ele está fazendo, diretamente no checkout. Além disso, os dados do cartão são informados apenas uma vez. ‘A plataforma sugere produtos complementares e permite vender produtos ou serviços relacionados ao que o cliente já estava comprando, e assim aumentar ticket médio. A Convert Pages também foi incorporada à plataforma. Ela cria diversas páginas de venda por produto e, segundo a empresa, é fundamental para ajudar o cliente final a decidir pela compra. E ainda houve mudança no boleto mobile que permite ao cliente efetuar o pagamento pelo celular, ao levar, automaticamente, para o banco, o que agrega usabilidade, uma vez que sua interface é mais funcional e objetiva.

Com informações da assessoria de imprensa

Cielo anuncia pagamento instantâneo e devolução do valor da maquininha
24 de abril

A Cielo anunciou nesta quarta-feira (24) que fará pagamentos de recebíveis de forma instantânea (no mesmo dia) a clientes que possuem a conta digital da empresa. A companhia também conversa com bancos para que contas correntes nos demais domicílios bancários também tenham acesso à ferramenta. “Todos os nossos parceiros estão convidados, não só os acionistas [BB e Bradesco têm ações da credenciadora]”, disse o CEO da empresa, Paulo Caffarelli. Até então, a empresa possibilitava antecipação para dois dias depois da compra (D+2), com cobrança de taxa. A antecipação instantânea (D+0) também terá taxas: 1,99% para débito, 4,99% para crédito à vista e 5,99% para crédito parcelado. Outra medida anunciada como forma de reter clientes é a devolução do preço pago pelas maquininhas. Serão agraciados com o retorno do valor pago clientes que realizarem R$ 1,6 mil em compras no cartão de crédito por três meses seguidos. “Feito isso, a maquininha é sua”, disse Caffarelli. As medidas são vistas como um contra-ataque a anúncios recentes de concorrentes como Rede, que zerou a taxa de antecipação de recebíveis para alguns clientes, SafraPay, que fez movimento semelhante, e PagSeguro, que inaugurou o pagamento instantâneo.

Fonte: New Trade

Empresa Simples de Crédito pode injetar R$ 20 bilhões por ano em pequenos negócios
24 de abril

A criação da Empresa Simples de Crédito (ESC) pode injetar R$ 20 bilhões, por ano, em novos recursos para os pequenos negócios no Brasil, incremento de 10% no mercado de concessão de crédito para as micro e pequenas empresas (MPE), que em 2018 alcançou o montante de R$ 208 bilhões. De acordo com estimativa do Sebrae, esse resultado deve ser alcançado quando as primeiras 1 mil ESC entrarem em atividade. A lei que cria a Empresa Simples de Crédito foi sancionada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, nesta quarta-feira (24), em Brasília. O objetivo com a criação da ESC é oferecer aos microempreendedores individuais e às micro e pequenas empresas alternativa de crédito mais barata e de fácil acesso. O projeto de Lei que criou a figura da Empresa Simples de Crédito foi construído e articulado pela Frente Parlamentar Mista das MPE, com o apoio do Ministério da Economia, o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e o Banco Central do Brasil. Além de injetar mais recursos na economia do país e diminuir a concentração bancária, a estimativa é que a Empresa Simples de Crédito deve provocar a redução da taxa de juros média para os pequenos negócios, que atualmente é de 44% ao ano – quase o dobro do que é praticada para as outras modalidades de pessoa jurídica. Outro resultado que é esperado com a ESC é a geração de novos empregos, com a promoção do desenvolvimento territorial e distribuição de renda nas cidades e nas regiões vizinhas.

Fonte: www.brasil.gov.br

Unicred Multirregional lança Corretora de Seguros
24 de abril

O ano de 2018 foi positivo para o setor de seguros. Modalidades de proteção voltadas para cuidados pessoais como seguro de vida, doenças graves e acidentes pessoais giraram um montante de R$ 38 bilhões. Uma alta de 10% em relação a 2017, segundo dados da Superintendência de Seguros Privados (SUSEP). Ao que tudo indica esse mercado ainda tem muito a crescer, e 2019 é um ano promissor. De acordo com a Confederação Nacional de Seguradoras (CNSeg), estima-se que esse setor cresça 8,4% este ano.

A Unicred Central Multirregional, central cooperativa de crédito, lançou, recentemente, a própria corretora de seguros. Atualmente são cinco modalidades de proteção: Vida; Vida Master; Doenças Graves; Renda e Empresa. Resultado de uma parceria com as empresas Mongeral Aegon e Icatu Seguros, a corretora, segundo nota da empresa, pratica valores menores que a média da concorrência, e a remuneração das apólices está acima da praticada no mercado segurador. “Com a cooperativa nossa missão é encontrar soluções inovadoras, mas dentro do nosso gerenciamento de riscos”, elucida a superintendente.

Com informações da assessoria de imprensa

Cielo, Visa, Banco do Brasil e Bradesco anunciam parceria para pagamento de transporte público
23 de abril

A bandeira de cartões Visa, a empresa de adquirência Cielo e seus sócios controladores Banco do Brasil e Bradesco anunciaram nesta terça-feira (23) que vão lançar na próxima semana uma solução conjunta de pagamento para o transporte público. Segundo comunicado da Visa à imprensa e enviado à Reuters, a solução “pode ser expandida para diversas cidades e meios de transporte”.

Fonte: Reuters

Bcredi recebe aporte do e.bricks Ventures
23 de abril

A Bcredi, fintech especializada em crédito com garantia de imóvel, anuncia a conclusão de sua rodada Series A de investimento com aporte da e.bricks Ventures. A gestora é um dos principais players brasileiros de venture capital e possui mais de 25 investimentos, incluindo Guiabolso, Contabilizei e ambar. Com o aporte, a Bcredi busca se consolidar como líder em seu segmento e fechar 2019 com mais de R$ 1 bilhão em ativos sob gestão. Criada em 2017 como braço digital do Banco Barigui, a Bcredi completou seu spin-off do conglomerado paranaense em maio de 2018 e, desde então, tem conquistado forte crescimento em sua plataforma. Por meio de um processo ágil, transparente e 100% online, a Bcredi oferece empréstimo com imóvel em garantia e financiamento imobiliário focado em pessoas físicas e pequenos e médios empresários. Outro grande diferencial desse aporte é a entrada de um fundo de venture capital em uma empresa após spin-off de um banco. “Temos convicção de que a modalidade de crédito com garantia em imóvel, ainda incipiente no Brasil, deve crescer mais de sete vezes nos próximos anos, atingindo mais de R$ 100 bilhões nesse período” assinala o sócio da e.bricks Ventures, Guilherme Cervieri.

Com informações da assessoria de imprensa

Migração para o cheque especial parcelado reduz juros pagos por clientes de 12% a.m. para 3% a.m.
23 de abril

Em fevereiro, mais de 1,07 milhão de pessoas deixaram de pagar juros de 12,66% ao mês no cheque especial e passaram a pagar, em média, 3,33%, segundo levantamento feito pela Febraban com 12 bancos, que representam cerca de 90% do mercado brasileiro do produto. A queda foi possível graças à migração do cheque especial rotativo para o parcelado. Desde julho do ano passado, quando as novas regras da autorregulação bancária para o cheque especial entraram em vigor, 7,34 milhões de clientes reduziram as taxas pagas por meio da mudança de linha de crédito.  

Fonte: Febraban

Março na telefonia móvel: pós-pagos são 44,67% das 228,88 milhões de linhas móveis em operação
23 de abril

As linhas móveis pós-pagas registraram 102,24 milhões de unidades em operação no mês de março de 2019 de acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Com isso, elas passaram a ser 44,67% do mercado, aumento de 6 pontos percentuais de participação em 12 meses, resultado de um acréscimo no volume de linhas pós-pagas de 12,89% (+11,67 milhões de unidades). No mesmo período, as linhas pré-pagas apresentaram queda de 12,79% (-18,58 milhões de unidades) totalizando 126,64 milhões em operação no mês passado. Dessa forma, o Brasil encerrou março de 2019 com 228,88 milhões de linhas móveis em operação, diminuição de 2,93% do total de linhas no país em 12 meses (-6,91 milhões).

Fonte: Anatel

Bling! reduz valor de boleto registrado para R$ 1,49
23 de abril

Com a nova norma do Banco Central do registro de qualquer boleto, cuja implantação terminou em novembro de 2018, o Bling! (www.bling.com.br), software de gestão, lança em 2019 o boleto registrado a R$ 1,49, menor taxa do mercado. Segundo a empresa, um dos procedimentos que pesam nos gastos de PMEs e MEIs é a emissão de boletos, já que eles têm menos força de negociação do que as grandes empresas e pagam as mais altas taxas a instituições bancárias. O Bling! Ainda reporta aumento no volume de negociações. Em comparação com o primeiro trimestre de 2019 ao do ano passado, o salto foi de mais de 80%. Com este resultado, a empresa buscou formas de abater seu preço: a parceria com a empresa alemã Wirecard possibilitou a redução gradativa até chegar ao patamar atual. A efeito de comparação, as taxas geralmente cobradas das PMEs ultrapassam R$ 5.

Com informações da assessoria de imprensa

Calcard fecha parceria estratégica com a Visa
22 de abril

A Calcard, administradora de cartões do grupo de varejo Studio Z que controla a rede de fast-fashion de calçados Studio Z, e a Visa, firmam parceria estratégica para emissão de cartões. A partir de 30 de março, a Calcard passa a emitir cartões Visa. A iniciativa, segundo a varejista, vai levar mais tecnologia, inovação, inclusão financeira e inclusão digital aos seus clientes. A expectativa é substituir a atual base de mais de dois milhões de cartões de marca privada e bandeira própria por cartões Calcard Visa com tecnologia de pagamento por aproximação até o final de 2019. Atualmente, os clientes podem comprar com condições diferenciadas em preço e prazos de pagamento nas 87 lojas da Studio Z localizadas em 12 estados e em diversos outros estabelecimentos conveniados. Com o novo cartão Calcard Visa, os clientes passam a contar com aceitação global, acesso a benefícios e programas da Visa – incluindo o Visa Causas, que permite a doação para cinco causas sociais, e a plataforma promocional Vai de Visa -, compras em novos canais online, pagamentos em aplicativos e soluções de autenticação biométrica, entre outros. “Isto tornará a experiência da compra mais completa, ágil e conveniente,” explica o comunicado à imprensa.

Fonte: Visa

AI pode contribuir em mais de US$15,7 tri para a economia global até 2030
22 de abril

O estudo “Sizing the Price of AI” (“Medindo o preço da IA”, em português), feito pela PwC sob encomenda da Microsoft demonstrou, pela primeira vez, o potencial de utilizar Inteligência Artificial (IA) para transformar empresas e setores, a fim de reduzir os impactos ambientais no mundo. O relatório faz parte da visão da Microsoft em adotar uma abordagem de tecnologia com o objetivo de impulsionar resultados, acelerar o progresso e criar um futuro sustentável e próspero. Segundo a pesquisa, a IA poderá contribuir em mais de US$15,7 trilhões para a economia global até 2030, um crescimento de cerca de 4,4% se comparado ao número atual. Se o uso de IA for aprimorado, existe uma estimativa de redução na emissão de gases de efeito estufa em até 4,0%, uma quantia equivalente a 2,4 Gt (bilhões de toneladas) de CO2 – valor equivalente às emissões anuais da Austrália, Canadá e Japão juntos. A consultoria avaliou quatro setores críticos para a economia: agricultura, água, energia e transporte – incluindo os “de difícil redução”, como químico, aviação e marítimo e ação e cimento –, verificando a velocidade e a escala potencial de impacto, desde mudanças climáticas à rápida perda de biodiversidade, situação hídrica, esgotamento de recursos e segurança alimentar.

Fonte: Desicion Report

Banco digital Next vai se separar do Bradesco
19 de abril

Lançado em junho de 2017, o banco digital Next será separado do Bradesco até o final de 2019. As informações são do Valor Econômico, que aponta que ainda serão definidos o modelo de separação e os tipos de investidores que a empresa pretende atrair. De acordo com o jornal, um dos objetivos da mudança é poder visualizar com mais clareza a chamada avaliação de preço (valuation, em inglês) do Next, que atualmente fica “escondida” em meio aos números do Bradesco.

“Uma plataforma digital tem outras métricas, baseadas no crescimento e na capacidade de atrair clientes”, afirma ao Valor Maurício Minas, idealizador do Next, que atualmente possui 800 mil clientes ativos – em janeiro eram 550 mil. Com uma taxa de crescimento de aproximadamente 8 mil adesões por dia, revela o executivo, o Next deve superar a marca de 1,5 milhão de clientes até o final deste ano. Além disso, o conselheiro destaca que o banco digital ainda opera no vermelho e que deve continuar assim no futuro próximo. “É sinal de que estamos crescendo”, afirma. Um número que ajuda a entender a relevância do Next é que nada menos que 80% dos clientes do banco digital não possuíam nenhuma relação com o Bradesco antes disso – e que 90% vieram de outras instituições financeiras. Do ponto de vista regulatório, aponta o Valor, a ideia é que o Next não passe a ser um banco, o que encareceria a sua operação, seguindo assim um modelo adotado por muitas fintechs no mercado nacional.

Fonte: ComputerWorld


Fique atualizado em relação as principais notícias do setor. Inscreva-se na Newsletter e nos acompanhe nas Redes Sociais (Facebook, Linkedin, Twitter e Instagram).