Tags: , ,

Aceitação do Pix surpreende, diz Roberto Campos


Por Edilma Rodrigues

Durante o webinar “Open Banking: Oportunidades Ilimitadas”, promovido pela Tata Consultancy Services, nesta quarta-feira (14), o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou que a aceitação do Pix, pagamentos instantâneos do BC, surpreendeu. “Imaginávamos ter 20 milhões de chaves cadastradas. Hoje, são 200 milhões: 197.7 mi de chaves pessoa física e 8.8 mi de PJ.”

A penetração do Pix na camada mais velha da população é menor, contina Campos, mas há grande crescimento, bem como no número de operações, que cresce mês a mês. O ticket médio é de 750 reais, o que demonstra que o meio é usado para diversos tipos de transações.

O evento reuniu especialistas do mercado financeiro e grandes líderes do setor bancário, além de M. Rajeshwar Rao, Deputy Governor do Reserve Bank of India; H.E. Suresh Reddy, Embaixador da Índia no Brasil; e Tushar Parikh, Country Head Brasil e BFSI Head Latam da TCS.  

Evolução constante

Além disso, Campos salientou que o Pix está em constante evolução, principalmente porque o acúmulo de dados e de experiencia permite desenvolver novas dimensões e funcionalidades e expandir a plataforma. Inclusive, salienta o executivo, evoluir o modelo de prestação de serviços do governo. “Pode ser expandido ainda na criação de uma identidade digital das pessoas, como na Índia.”

Esta semana, o BC divulgou na reunião plenária do Fórum Pix, as novidades que foram incorporadas na agenda de desenvolvimento prevista para este ano, além das funcionalidades que já haviam sido anunciadas em fevereiro. Uma delas é o QR Code do Pagador, opção que vai permitir fazer um Pix mesmo quando o pagador estiver sem acesso à internet.

Ainda serão implementadas evoluções e novas funcionalidades no Pix Cobrança, por meio do qual o usuário recebedor tem mais facilidade para gerenciar as cobranças relativas a pagamentos imediatos e com vencimento. Além de entrarem na agenda deste ano outras funcionalidades associadas ao Pix Cobrança. Também evoluíram as definições relacionadas à possibilidade de usar o Pix para fazer retirada de dinheiro em espécie, o Saque Pix.

Campos salientou ainda que o Pix foi projetado para facilitar a vida dos pagadores e recebedores; viabilizar novos modelos de negócios; reduzir custos e contribuir para a eletronização dos pagamentos e para a inclusão financeira. “Algumas características tornam o Pix único como a velocidade (poucos segundos), disponibilidade (qualquer dia e horário), segurança, multiplicidade de uso, ambiente aberto.” Entre outras.


Fique atualizado em relação as principais notícias do setor. Inscreva-se na Newsletter e nos acompanhe nas Redes Sociais (Facebook, Linkedin, Twitter e Instagram).