nota8

Áreas comerciais da TSYS direcionam investimento em aumento de capacidade e tecnologias emergentes para suportar crescimento acelerado

O arrojado plano de negócios da TSYS implica o maior investimento da empresa no Brasil, com projeto de migração dos data centers locais, que antecipa os requisitos de alta performance, segurança e funcionalidades para inovação de serviços aos emissores e adquirentes, dar conta do aumento do volume de operações e da ampliação da base de clientes na América Latina.

A nova estratégia comercial da TSYS trouxe a reformulação de toda a infraestrutura e no modelo de serviços de TI. A transformação inclui a migração de um modelo de PaaS para co-location, para obter ainda mais controle e acelerar a implementação de novos serviços. Todas essas mudanças estruturais foram direcionadas pelo nível estratégico da companhia e pelas áreas comerciais, que definiram expansão de capacidade e alta inovação em TI como um pilar de sua competitividade no mercado de serviços financeiros.

Após nove anos de operações no Brasil, a TSYS – provedora de processamento de meios de pagamento, com presença em 80 países e uma base de cerca de 800 milhões de portadores de cartão – começa agora a execução de seu maior projeto de TI, com a implantação de dois novos data centers, em Campinas e São Paulo. As mudanças foram fortemente direcionadas pelas áreas de desenvolvimento de negócios, que demandam uma estrutura com níveis de funcionalidades, performance, disponibilidade e segurança compatíveis à sólida projeção de crescimento para a próxima década. “A expansão dos serviços aos clientes já existentes e a expectativa de negócios com novos emissores e adquirentes nos dão segurança para esse investimento. Nosso comprometimento com o mercado no Brasil e na América Latina impõe a necessidade de tecnologias ainda mais modernas e seguras para processamento de pagamentos”, explica Marcelo Zaniboni, diretor de tecnologia da TSYS.

No projeto de transformação do data center, a TSYS empreendeu a implementação de tecnologias “saídas do forno”, além dos serviços de consultoria e integração da First Tech. Por se tratar de um projeto crítico, e, portanto, uma referência importante para todos os envolvidos, os parceiros tiveram que ir além de um simples processo de venda. “Chegamos a fazer reuniões com especialistas dos fabricantes, da TSYS Brasil, Europa e Estados Unidos. Foi uma colaboração muito rica, com todos empenhados em atingir os objetivos estratégicos da TSYS”, lembra Marcelo Abreu, diretor da First Tech.

Além do aumento de capacidade e disponibilidade, a arquitetura de data center da TSYS se alinha à estratégia de agilizar a entrega de novas funcionalidades aos clientes. A nova estrutura está pronta para suportar inovações já previstas, como facilidades de tokenização, aplicações analíticas e novos front ends de gerenciamento de produtos e negócios, assim como está habilitada para novas integrações e outras oportunidades que surgirem no futuro.

Neste projeto, a TSYS é earlier adopter de arquiteturas emergentes de roteamento, balanceamento de tráfego e outras tecnologias que acabam de ser desenvolvidas pelos grandes fabricantes. Ao mesmo tempo em que busca o máximo de agilidade e desempenho na entrega de serviços aos clientes, a companhia intensifica a gestão de risco e implementa padrões de segurança que vão além das obrigações de compliance. “Os profissionais da TSYS têm uma visão muito aprofundada da questão de segurança, o que, inclusive, os permite antecipar tanto as novas regulações quanto mudanças no cenário de risco”, comenta o diretor da integradora.

A estrutura segue os padrões de resiliência e segurança da TSYS, com regras mais rígidas do que é exigido pelo PCI DSS, e está sendo construída para proporcionar estabilidade e agilidade para os clientes criarem diferenciais para seus produtos e serviços. “Por nossa posição de liderança, temos o compromisso de antecipar as transformações no mercado de pagamentos. Temos que ajudar nossos clientes a atender e antecipar as demandas de um mercado dinâmico e em constante evolução”, diz Zaniboni.

Confiança e perspectivas de inovação dos clientes

A metodologia de migração de processadora da TSYS é um dos fatores que acelera seu aumento de participação de mercado. No Carrefour Serviços Financeiros (CSF), por exemplo, em 2010 foi migrada toda a base de private label e no ano seguinte o portfólio com bandeira VISA. Entre os clientes na América Central, a equipe da TSYS Campinas foi responsável pela migração das carteiras de clientes do Scotiabank na Costa Rica e no Panamá. Segundo maior banco no Canadá, o Scotiabank precisava de uma plataforma mais eficiente de processamento na região da América Latina e Caribe e demandava ainda um parceiro capaz de facilitar a integração de carteiras adquiridas de outros emissores.

O CSF também adotou algumas ferramentas integradas à plataforma TS Prime da TSYS, como Probe, de gerenciamento de portfólio, e Falcon, de prevenção a fraudes.

Compartilhe

Notícias relacionadas

Blog
Mudança na natureza jurídica da ANPD fortalece aplicação da LGPD
Por Edilma Rodrigues A Medida Provisória (MPV) nº 1.124, de 13 de junho de 2022 assinada pelo...
Blog
Mercado Pago usa tecnologia de segurança da Mastercard para criptos
A carteira digital do Mercado Livre, o Mercado Pago, vai usar
Blog
Ant Group lança banco digital para micro, pequenas e médias empresas em Singapura
O ANEXT Bank, banco digital de atacado de Singapura e parte do Ant Group, anunciou...
Blog
Cetelem vai reduzir 6 mil toneladas de CO² com emissão de cartões reciclados
O Banco Cetelem Brasil emitiu cerca de 370 mil cartões de plástico reciclado, desde o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top