nota1

Após aporte, fintech europeia é avaliada em US$ 3,5 bi

Por Edilma Rodrigues

A TransferWise, fintech inglesa de transferências internacionais, fez uma nova rodada de investimento em mercado secundário, na última quarta-feira (22). Com a operação, estimada em US$ 292 milhões, a startup passa a ser avaliada em US$ 3,5 bilhões, mais que o dobro da valorização alcançada no aporte anterior, em novembro de 2018. Além de ter como investidores os fundos Lead Edge Capital, Lone Pine Capital e Vitruvian Partners – outros acionistas, como o fundo do Vale do Silício Andressen Horowitz, decidiram aumentar sua participação na empresa.

O presidente executivo da fintech, Kristo Käärmann, explicou a Bruno Capelas do Estadão que a rodada não muda os planos da empresa, mas alivia a pressão interna para que seu capital fosse aberto. É um movimento atípico, até porque, ao contrário de nós, muitas startups não estão acostumadas a serem lucrativas. Foi também uma oportunidade para trazer investidores de porte, acostumados a transformar startups grandes em gigantes,” assinala Käärmann.

Ele informou ainda que os planos da startup para este ano seguem os mesmos: expandir o serviço Bordeless, espécie de carteira digital que funciona em diferentes países, bem como o TransferWise for Business, modalidade para pessoas jurídicas (em especial, profissionais liberais e pequenas empresas) que operam em várias nações ao mesmo tempo. Os dois serviços, por exemplo, não estão disponíveis no Brasil, que, ainda assim, é um dos cinco maiores mercados da startup estoniana.

A TransferWise movimentou mais de R$ 6 bilhões no País. O Brasil é um país chave para nós, até por conta de como os bancos operam por aí e da vantagem que sentimos que podemos oferecer. A questão não é se vamos oferecer novos produtos, mas sim quando, disse Käärmann ao Estado, apontando a dificuldade de se trabalhar no Brasil. “É mais fácil operar em lugares em que há economia estável, afirmou o executivo. Além disso, a empresa tem planos de contratar 750 pessoas nos próximos doze meses, em suas diversas sedes pelo mundo.

Ao contrário de muitas fintechs, a TransferWise já é lucrativa e por dois anos consecutivos. A empresa registrou £ 6,2 milhões (US$ 8 milhões) de lucros após impostos em 2018 (fechado em 31 de março de 2018), e £ 117 milhões (US$ 151 milhões) em receita. Segundo o Business Insider, o resultado foi alcançado fazendo precisamente a mesma coisa que outras fintechs: redução significativa das taxas cobradas por serviços financeiros em instituições tradicionais. O percentual que a fintech cobra por transferências transfronteiriças é menor que 1%, enquanto a média global gira em torno de 7%.

Com informações do Estadão Conteúdo e Business Insider

Compartilhe

Notícias relacionadas

Blog
Mudança na natureza jurídica da ANPD fortalece aplicação da LGPD
Por Edilma Rodrigues A Medida Provisória (MPV) nº 1.124, de 13 de junho de 2022 assinada pelo...
Blog
Mercado Pago usa tecnologia de segurança da Mastercard para criptos
A carteira digital do Mercado Livre, o Mercado Pago, vai usar
Blog
Ant Group lança banco digital para micro, pequenas e médias empresas em Singapura
O ANEXT Bank, banco digital de atacado de Singapura e parte do Ant Group, anunciou...
Blog
Cetelem vai reduzir 6 mil toneladas de CO² com emissão de cartões reciclados
O Banco Cetelem Brasil emitiu cerca de 370 mil cartões de plástico reciclado, desde o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top