nota8

Aconteceu na semana

Contribuinte na malha fina poderá agilizar liberação da restituição do IR
20 de junho

O contribuinte retido na malha fina do Imposto de Renda (IR) poderá ter o direito de agilizar a liberação de sua restituição. A possibilidade está prevista no PLS 354/2017, do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) nesta quarta-feira (20). Foram 14 votos a favor e nenhum contrário à proposta que, se não houver recurso para votação pelo Plenário do Senado, será enviada à Câmara dos Deputados. O projeto faculta ao contribuinte apresentar espontaneamente a documentação que comprova a regularidade das informações da declaração retida. Ele poderá fazer isso mesmo sem ter sido intimado pela Receita Federal. O texto garante prioridade na revisão da declaração em malha fina para quem se antecipar.

Fonte: Agência Senado

Copom mantém taxa Selic em 6,50% a.a.
20 de junho

​O Copom decidiu, por unanimidade, manter a taxa Selic em 6,50% a.a. Algumas observações da entidade sobre a decisão foram a paralisação no setor de transporte de cargas no mês de maio dificulta a leitura da evolução recente da atividade econômica; cenário básico contempla continuidade do processo de recuperação da economia brasileira, em ritmo mais gradual. O cenário externo seguiu mais desafiador e apresentou volatilidade, com a evolução dos riscos houve redução do apetite ao risco em relação a economias emergentes. As expectativas de inflação para 2018 e 2019 da pesquisa Focus são em torno de 3,9% e 4,1%, respectivamente. As expectativas para 2020, em torno de 4,0%. Com base nesses dados, as projeções do Copom ficam em torno de 4,2% para 2018 e de 3,7% para 2019. Esse cenário supõe trajetória de juros que encerra 2018 em 6,50% a.a. e 2019 em 8,0% a.a. e de taxa de câmbio que termina 2018 em R$/US$ 3,63 e 2019 em R$/US$ 3,60. O Copom reitera que a conjuntura econômica prescreve política monetária estimulativa, ou seja, com taxas de juros abaixo da taxa estrutural.

Fonte: Banco Central do Brasil

Publicada lei que autoriza saque do PIS/Pasep
19 de junho

Foi publicada no Diário Oficial da União a Lei 13.677/18, que autoriza a qualquer titular de conta do PIS/Pasep sacar os recursos que possui em conta individual até o dia 29 de junho deste ano. A Lei foi publicada no dia 14 de junho. A lei tem origem no Projeto de Lei de Conversão (PLV) 8/2018, decorrente da Medida Provisória 813/17, e ainda permite ao governo federal estender o prazo até o dia 28 de setembro. Após o prazo de 29 de junho ou sua prorrogação, os recursos poderão ser sacados apenas por maiores de 60 anos, aposentados e militares da reserva. Antes da edição da MP, o saque era permitido apenas a quem tinha mais de 70 anos.

Fonte: Câmara dos Deputados

Mercado Bitcoin e banco Brasil Plural
19 de junho

Com API (Application Programming Interface) desenvolvido pela Matera, a corretora de criptomoedas Mercado Bitcoin e o banco Brasil Plural passam a ter transmissão mais rápida das informações. Anteriormente, as mais de 4 mil transferências diárias dos investidores de moedas digitais eram validadas e conferidas manualmente. Agora, em cerca de 15 minutos, o autor e o valor da TED são identificados e o crédito é realizado na plataforma de negociação da fintech. “A relação entre fintechs, especialmente as que transacionam criptomoedas, e o sistema bancário tradicional tem histórico conturbado. Entretanto, a parceria entre Mercado Bitcoin e Brasil Plural, impulsionada pela nossa plataforma, comprova que o potencial para grandes oportunidades de negócio para ambos os lados ainda é enorme”, diz Carlos Netto, CEO da Matera.

Com informações da assessoria de imprensa

PagSeguro pode estar mais perto de ter o próprio banco?
19 de junho

Menos de seis meses após seu IPO bilionário, a PagSeguro anunciou uma nova oferta de ações, que pode movimentar até 1,2 bilhão de dólares. Incomum, a oferta levanta a dúvida sobre o que a empresa deve fazer com o dinheiro. A movimentação pode significar que a fintech está mais perto de realizar um plano ousado: ter um banco para chamar de seu. A possibilidade da empresa se associar a uma instituição financeira ou criar ela própria o seu banco não é nova. A companhia já oferece a seus clientes uma conta de pagamento, pelo meio digital ou por maquininhas. Com um banco digital, poderia fazer a antecipação dos recebíveis de seus clientes e oferecer novos serviços. Outra possibilidade é que a empresa use o capital para fazer uma aquisição, avalia Edson Santos, especialista em meios de pagamentos. “Talvez eles estejam olhando para alguma fintech disponível no mercado.” Há ainda a chance de o dinheiro ser usado apenas para o crescimento orgânico da companhia, com despesas como marketing, distribuição e pré-pagamento para lojistas.

Fonte: Exame online

Deputados e defensores públicos defendem proposta que limita juros do cartão de crédito
19 de junho

Deputados, defensores públicos e empresários defenderam, nesta terça-feira (19), a aprovação da proposta de emenda à Constituição (PEC 160/15) que proíbe que os juros cobrados por instituições financeiras sejam maiores do que o triplo da taxa básica estabelecida pelo Banco Central. Atualmente, a Selic está em 6,5%. O texto está em análise na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados, mas, segundo a deputada Zenaide Maia (PHS-RN), ainda não foi votado a pedido do então ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Fonte: Câmara dos Deputados

TST decide a favor de bancos em terceirização de call centers
19 de junho

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) definiu que telemarketing é atividade-meio nos casos de bancos e empresas de call center. A decisão, por seis votos a cinco, veio da Subseção 1 Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1), responsável por uniformizar a jurisprudência. O colegiado do TST entendeu que não pode ser reconhecido vínculo de emprego com banco que contratou atendente de call center por meio de terceirizada. Apesar de envolver apenas a Itaucard e a Contax Mobitel, a decisão pode ter efeitos para outras empresas e segmentos que utilizar os serviços de telemarketing.

Fonte: Callcenter.inf

BRDE é o primeiro banco do país a operar o Fundo Clima
19 de junho

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) é o primeiro banco do país a operar o Fundo Clima, com recursos do BNDES, para financiamento de projetos de pessoas físicas e jurídicas destinados à instalação de sistemas de geração fotovoltaico e de aquecimento solar, além de outros equipamentos cadastrados no subprograma do Fundo Clima “Máquinas e Equipamentos Eficientes”.

Fonte: Revista Amanhã

Concorrente do Nubank investe no setor de cartão de crédito de loja
18 de junho

A fintech Trigg, concorrente do Nubank, está ingressando no mercado bilionário de cartões de loja, conhecido como private label. A startup do setor financeiro começou a se popularizar por “devolver” parte do dinheiro de quem usa seu cartão de crédito – mecanismo conhecido como cashback. Recentemente, a Trigg incorporou as operações de private label das lojas UZE e Biz, que atuam no setor há mais de 20 anos. A UZE está nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país, enquanto a Biz atua nos mercados do Sul e Sudeste. Com as aquisições, a startup ultrapassou a marca de 1 milhão de cartões emitidos. Até o final do ano, a expectativa é superar 1 bilhão de reais em vendas.

Fonte: Veja online

BB simplifica aplicativo para mobile
18 de junho

O aplicativo do Banco do Brasil para o mobile está mais simples e traz tudo o que o cliente precisa em um único lugar e ainda permite customizar toda a aplicação. A principal mudança no app é o Minhas Finanças, solução de gestão financeira que agora está totalmente integrada ao aplicativo, o que, segundo a instituição, vai melhorar a experiência com todos os recursos disponíveis no gestor financeiro. Hoje, o Minhas Finanças possui 4,7 milhões de usuários. Com a integração, esse número passará para 16 milhões de clientes e o Banco poderá oferecer soluções de produtos e serviços ainda mais customizados. Outra novidade são as “centrais de transações”, que simplificam o jeito de realizar as principais transações feitas no app do BB. Na interface é possível gerir os gastos do cartão de crédito, fazer pagamentos ou transferências. As centrais de transações ainda podem ser organizadas da maneira que o usuário quiser. O BB informa que as mudanças estarão disponíveis em breve para todos os clientes.

Com informações da assessoria de imprensa

Febraban adia permissão para que boleto vencido de menos de R$ 800 seja pago em qualquer banco

A Febraban (federação de bancos) ampliou o prazo para que boletos de menor valor possam ser pagos em qualquer banco após seu vencimento. A mudança faz parte da implantação de uma nova plataforma para liquidação de pagamentos desenvolvida pela federação. Boletos com valor entre R$ 400 e R$ 799 poderão ser pagos em bancos diferentes do emissor após o vencimento a partir do dia 25 de agosto. O prazo original era 26 de maio. Segundo a Febraban, a alteração foi feita para melhor processar o grande volume de pagamentos que transita na rede bancária. A partir de 13 de outubro, os boletos de valor acima ou igual a R$ 100,00 deverão estar registrados no novo sistema. Até 27 de outubro, o registro será requerido também para os boletos abaixo desse valor. A implantação será concluída em 10 de novembro, com a inclusão dos boletos de cartão de crédito e de doações. Assim, os boletos de todos os valores estarão no novo sistema. Boletos de valor acima de R$ 800 já estão na nova plataforma.

Fonte: Folha de S. Paulo

Banco Central desenvolve projeto de blockchain com recursos do Microsoft Azure
13 de junho

Em desenvolvimento desde a segunda metade de 2017 e tendo sua implementação inicial realizada em abril deste ano, o Pier (sigla para “Plataforma de Integração de Informações das Entidades Reguladoras”) é uma rede descentralizada e colaborativa que pode revolucionar o modo com o qual entidades como BC, Susep (Superintendência de Seguros Privados) e CVM (Comissão de Valores Mobiliários) conversam entre si para efetivar decisões relacionadas ao sistema financeiro. Até então, fazer a validação e aprovação de documentos e requisições exigia que as três autarquias recorressem a soluções como e-mail, telefonemas ou mesmo ofícios em papel. Hoje, a requisição é gravada diretamente na blockchain do Pier, projeto baseado no Quorum, uma versão corporativa do Ethereum desenvolvida pelo J.P. Morgan.

Fonte: Bit Magazine

Compartilhe

Notícias relacionadas

Blog
Mudança na natureza jurídica da ANPD fortalece aplicação da LGPD
Por Edilma Rodrigues A Medida Provisória (MPV) nº 1.124, de 13 de junho de 2022 assinada pelo...
Blog
Mercado Pago usa tecnologia de segurança da Mastercard para criptos
A carteira digital do Mercado Livre, o Mercado Pago, vai usar
Blog
Ant Group lança banco digital para micro, pequenas e médias empresas em Singapura
O ANEXT Bank, banco digital de atacado de Singapura e parte do Ant Group, anunciou...
Blog
Cetelem vai reduzir 6 mil toneladas de CO² com emissão de cartões reciclados
O Banco Cetelem Brasil emitiu cerca de 370 mil cartões de plástico reciclado, desde o...

Assine o CANTAnews

Não perca a oportunidade de saber todas as atualizações do mercado, diretamente no seu e-mail

plugins premium WordPress
Scroll to Top