Simplypag recebe aporte da Iporanga Ventures


Por Edilma Rodrigues

A Simplypag, fintech que facilita a relação entre empregados e patrões, recebe investimento da Iporanga Ventures, para acelerar o seu crescimento com a intensificação de estratégias de aquisição de novos clientes e o desenvolvimento de novas funcionalidades da sua plataforma. A startup não divulgou o valor do aporte. 

De acordo com o CEO da Simplypag, Leo Cherman, por mais que o governo tenha tentado simplificar o eSocial, o preenchimento correto ainda não é uma tarefa fácil e pode gerar erros e risco de multas sem que o contribuinte se atente a isto. “Temos um produto que as pessoas querem, que é gratuito e rentável. É bom para todos. Não há motivos para não apostarmos no nosso crescimento,” assinala.

A Simplypag, fundada em fevereiro de 2019 por profissionais egressos de instituições financeiras e empresas de tecnologia, provê soluções para a relação trabalhista e tributária entre empregadores domésticos e seus funcionários. O objetivo da sua plataforma é tirar do empregador as preocupações, erros e esquecimentos na gestão de seus funcionários. A empresa envia um único boleto para o empregador, com o valor dos salários e impostos somados, e cuida para que todos os pagamentos sejam feitos nas datas certas, com os valores corretos, amparados por cálculos feitos por contadores e especialistas, evitando assim atrasos e erros. 

Em seu modelo de negócios, a startup não cobra nada pelos seus serviços. “A gestão da folha de pagamento, a emissão da guia de pagamento de impostos e – caso o cliente queira – o próprio pagamento do salário dos funcionários é feito sem cobrar nada,” informa a empresa em nota. 

“Queremos crescer rapidamente e há inúmeras oportunidades de rentabilização no futuro. Apenas a possibilidade de oferta de empréstimo para o público de empregados domésticos – que é mal assistido por outras instituições – já é o suficiente para rentabilizar nossa operação,” ressalta Cherman. 

A Simplypag tem a seu favor o tamanho do mercado de empregados domésticos: “São mais de 6 milhões de pessoas, entre empregadas, faxineiras, babás, motoristas e outras profissões,” explica a nota divulgada à imprensa. Além disso, a complexidade trabalhista e tributária do Brasil torna difícil para uma pessoa comum fazer, sem erros, a gestão de seus empregados domésticos. 

A Iporanga Ventures, fundo de venture capital, já investiu em empresas como Loggi, Quero Educação e Olist. 

Com informações da assessoria de imprensa


Fique atualizado em relação as principais notícias do setor. Inscreva-se na Newsletter e nos acompanhe nas Redes Sociais (Facebook, Linkedin, Twitter e Instagram).