Reserva registra mais de 100 transações em bitcoin em 24h


As lojas virtuais Reserva e Reserva Mini passaram a aceitar pagamentos em bitcoin, desde 4 de janeiro, por meio da plataforma MundiPagg, e obtiveram resultados positivos. O gerente de omnichannel e experiência de compra do usuário da Reserva, Rodrigo Berutti, informou que em apenas 24h, a empresa recebeu mais de 100 transações em bitcoins. “A Reserva é uma marca independente e ‘não conformista’. A nova forma de pagamento no e-commerce é o primeiro passo. Muito em breve também aceitaremos em todas as nossas lojas,” revela Berutti.

A  Reserva é uma marca de moda masculina adulta, e a Reserva Mini, de moda infantil. O pagamento por bitcoin está disponível a todos os clientes. O pedido é feito na loja virtual e o valor automaticamente é convertido de Real para a criptomoeda pela MundiPagg, considerando a cotação daquele momento. O novo número então é exibido na página do checkout da loja virtual em questão de milissegundos, que disponibiliza meios para o comprador efetuar o pagamento.

O CEO da MundiPagg, João Barcellos, explica que o bitcoin, embora seja uma nova tendência, nada mais é do que um novo modelo de pagamento. “Para uma loja virtual, facilitar ao máximo o pagamento é fundamental, oferecendo diferentes alternativas para não perder uma venda, como cartão de crédito, débito, boleto, transferência, divisão de valor em diferentes meios. O bitcoin é só mais uma alternativa,” acrescenta o CEO. O executivo acredita que segmentos como moda, digital goods, suplementos, lojas com mercadorias importadas, lojas internacionais, dentre outros devem ser os segmentos que mais utilizarão essa moeda.

A perspectiva para 2018, segundo Barcellos, é que cada vez mais lojas virtuais se interessem pelo pagamento em bitcoin, porém a moeda ainda tem que se provar como meio de pagamento. “Existem muitas questões de usabilidade e tempo de aprovação que ainda não oferecem vantagens versus os meios de pagamento tradicionais. Mas definitivamente é uma tendência o crescimento e uso,” assinala.

A MundiPagg analisa que ao integrar esse recurso a todos os outros, como checkout transparente, disponibiliza uma plataforma unificada para que as lojas ofereçam cada vez mais opções aos consumidores. E aumentem as vendas sem a necessidade de se preocupar com a complexidade dos detalhes técnicos das transações online. “A Reserva tem sido uma grande parceira nos últimos dois anos. Quando nos procuraram querendo inovar ao aceitar bitcoin, abraçamos a ideia,” diz Barcellos.

Para Rony Meisler, CEO do Grupo Reserva, a ideia de operar com a moeda digital vai ao encontro do que a marca busca oferecer aos clientes. “Não aceitar o Bitcoin é se negar a enxergar o novo e belo lugar para onde o mundo vai. Além disso, a decisão, apesar de pioneira, nos parece quase que óbvia: sempre estivemos a serviço de nossos consumidores e as criptomoedas já são para eles uma realidade”, completa Meisler.

O perfil do público da Reserva, conforme o gerente Rodrigo Berutti, é de pessoas antenadas que acompanham as novidades globais. “As criptomoedas são uma realidade, um caminho sem volta, e não poderíamos deixar de oferecer essa conveniência aos nossos clientes,” finaliza.


Fique atualizado em relação as principais notícias do setor. Inscreva-se na Newsletter e nos acompanhe nas Redes Sociais (Facebook, Linkedin e Twitter).