Privacidade é demanda tanto do regulador quanto dos clientes


Como efeito comportamental das regulações de proteção de dados, muitos consumidores já estão dispostos a gastar mais com companhias que tenham uma política clara de segurança de dados pessoais, afirmou Cindy Compert , CTO de data security e privacidade da IBM, na palestra Open Bank na Europa – Os Impactos da GDPR no Sistema Financeiro Europeu, no Ciab 2019. “O consumidor hoje sabe que é o dono do dado, que esse dado tem valor e tem uma alta expectativa de receber melhores produtos e serviços por quem detém informações sobre eles”, acrescenta Adarsh Kumar, CTO e head de cybersecurity para América Latina da Capgemini.

Segundo Compert, mesmo com um ano de vigência da GDPR, as companhias ainda continuam seus processos de mapeamento para descobrir dados críticos que as exponham a alguns riscos. “Os reguladores, por sua vez, são como bebês. Ficam quietos nos primeiros dias, mas logo começam a andar e mexer nas coisas. As multas que vimos nos últimos meses mostram que estamos nessa fase”, ironiza.

A especialista também nota que para muitas organizações a jornada à GDPR acaba sendo um facilitador da transição para o modelo de open bank. “Durante o processo, foram testados e desenvolvidos muitos modelos de dados que agora facilitam muito o entendimento sobre como lidar com informações críticas”, esclarece.


Fique atualizado em relação as principais notícias do setor. Inscreva-se na Newsletter e nos acompanhe nas Redes Sociais (Facebook, Linkedin, Twitter e Instagram).