Ilha de Man abre suas portas para ICOs legais


A Ilha de Man, dependência do Reino Unido que fica no mar da Irlanda, abre suas portas aos empreendedores que procuram lançar ofertas iniciais de moedas (ICO). Em entrevista, na semana passada, ao CoinDesk, Brian Donegan, chefe de operações para fintechs e desenvolvimento digital do Departamento de Desenvolvimento Econômico da Ilha, disse que lá foi criado um quadro regulatório que deve permitir a venda de tokens compatíveis com a regulamentação anti-lavagem de dinheiro e conheça seu cliente.

O anúncio formal ainda não foi feito pelo governo da Ilha, embora este movimento se dê há algum tempo. A própria estrutura se baseia em regras de combate à lavagem de dinheiro implementadas em 2014 e 2015. As empresas que procuram lançar uma ICO no domínio inglês seriam obrigadas a se registrar junto a autoridades pertinentes da Ilha de Man e seguir os regulamentos aplicáveis. Os funcionários, então, desempenhariam um papel de apoio às empresas, à medida que avançassem no processo de venda de token.

Enquanto reguladores em locais, como o Canadá, ofereceram ‘rampas de acesso’ para organizadores de ICOs, a Ilha de Man talvez dê um passo à frente ao abrir suas portas para uma variedade de vendas de token. A incubadora de fintechs, Adel, lançou uma ICO depois de se incorporar à ilha, o que serviu de teste para o conceito.

Quanto à razão pela qual Man se interessa em capitalizar ICOs, a explicação de Donegan é simples: há uma oportunidade significativa para governos pioneiros na criação de ambientes acolhedores para organizadores de ICOs. “Nossa compreensão e análise desse mercado é que ele representa uma vertical sólida para nós”.

A mudança ocorre vários anos depois que a Ilha de Man introduziu regras para companhias que manipulam ou trocam criptomoedas. A ilha do Reino Unido revelou pela primeira vez seus planos de colocar em vigor as regras para os negócios de criptomoedas, em 2014. Mais tarde, o governo adotou a tecnologia por trás do bitcoin para possíveis aplicações no setor público, lançando um piloto de registro digital em maio de 2015 que foi, posteriormente, seguido por trabalhos em outras áreas como a IoT.

A reação da China

Semana passada vimos o movimento dramático dos reguladores na China para barrar efetivamente ICOs ilegais, uma decisão que teve impacto sobre a atividade, tanto doméstica quanto internacional, em torno o modelo de financiamento.

Donegan afirmou que há necessidade real e absoluta de conformidade com a AML / KYC especificamente adaptada às ICOs – algo que ele acredita que a Ilha de Man pode fornecer. “O governo da Ilha de Man já via um forte interesse dos organizadores de venda de tokens e o movimento para desenvolver uma regulamentação. O ambiente para ICOs se deu por conta da prevalência de golpes neste espaço. A cada 10 aplicações que tivemos dos promotores da ICO nos últimos meses, apenas um passa porque há muitas fraudes nessa indústria. Estamos mantendo consumidores seguros e a criminalidade fora,” conclui.

Fonte: Coindesk


Fique atualizado em relação as principais notícias do setor. Inscreva-se na Newsletter e nos acompanhe nas Redes Sociais (Facebook, Linkedin e Twitter).