Fintech de seguros para telefones celulares tem aporte de R$ 60 milhões


Após se tornar conhecida por atuar como um clube de usuários de telefones celulares que, por uma mensalidade variável, realiza consertos em aparelhos em caso de qualquer tipo de problema, a Pitzi anunciou no início da semana ter recebido um aporte que vai reforçar sua atuação em forma de fintech. O foco deste novo momento é a oferta de seguros.

De acordo com uma matéria publicada pela revista Época Negócios, a startup brasileira recebeu um aporte de R$ 60 milhões em uma rodada liderada por QED Investors, WTI, Valiant Partners e Thrive Capital. A publicação informa que a empresa é avaliada em cerca de R$ 400 milhões.

Segundo a reportagem, o investimento permitirá à empresa desenvolver um plano de expansão agressivo que, na prática, ampliará sua penetração nos programas de seguro de celulares no Brasil. A ideia é chegar a mais de 40% dos cerca de 200 milhões de aparelhos ativos no país nos próximos anos. 

O texto explica que Bill Cilluffo, sócio na QED, será membro do conselho de administração da Pitzi. O fundo já investiu em fintechs conhecidas como Nubank, Creditas e QuintoAndar, enquanto o WTI é conhecido pelo apoiou a marcas como o Google, o Facebook, e, mais recentemente, Oscar, uma das maiores insurtechs dos EUA.

O fundador e presidente da Pitzi, Daniel Hatkoff, explica que atualmente só 4% dos smartphones são protegidos no país, enquanto em outras regiões este volume chega a ser de até 90%. “Queremos expandir o mercado, reduzir o gap e chegar a 40% em um futuro próximo”, diz.

A startup já havia levantado R$ 70 milhões em outras três rodadas, incluindo Thrive, Kaszek, Flybridge e DCM.

Fonte: https://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2019/11/epoca-negocios-fintech-de-seguros-de-celulares-pitzi-recebe-aporte-de-r60-milhoes.html


Fique atualizado em relação as principais notícias do setor. Inscreva-se na Newsletter e nos acompanhe nas Redes Sociais (Facebook, Linkedin, Twitter e Instagram).