Especialista alerta sobre os cuidados para quem quer investir em bitcoins


Os bitcoins são a mais nova sensação no mercado mundial e vem chamando a atenção pelo seu valor. A última cotação da criptomoeda chegou aos US$ 16 mil dólares. Mas com a euforia é preciso ter alguns cuidados na hora de comprar um bitcoin. Hoje é possível usar bitcoins para comprar passagens aéreas, hotéis, serviços de TI e até computadores. 

De acordo com Sandra Rogenfisch, head da área de tecnologia e economia digital do Vinhas & Redenschi Advogados, é preciso entender os riscos por trás desse tipo de investimento, como a volatilidade de preços e o funcionamento operacional por trás do negócio. Além disso, é necessário ficar atento para evitar cair em golpes como fraudes e esquemas de pirâmides.

No Brasil, Banco Central, CVM e Receita Federal enxergam os bitcoins como ativo e não como uma moeda digital, por isso, quem compra precisa declarar no imposto de renda quando o valor superar R$35 mil, além de pagamento de imposto sobre os ganhos.

Com a grande procura por bitcoins, o chamado “efeito manada” é preocupante, segundo Sandra. Isso ocorre quando investidores não qualificados passam a ter a percepção de que há uma oportunidade e de que outros dispõem de mais informações, ou informações mais qualificadas, e se dispõem a investir em ativos sem considerar fundamentos e pressupostos financeiros relevantes.  Além do prejuízo individual, o efeito manada também é prejucicial ao mercado como um todo.

“Todos esses aspectos devem ser considerados na hora na decisão de aquisição de Bitcoins. Não há bola de cristal. Como todo e qualquer ativo inovador, a possibilidade de ganhos está associada à volatilidade que os mesmos apresentam e deve ser considerado apetite a risco daquele que se sente tentado a adquirir Bitcoins”, alerta a especialista.

Na avaliação de Sandra, há vários fatores impactando o rápido crescimento do valor dos Bitcoins ao longo desse ano, como a entrada na Bolsa de Valores de Chicago, a recente aceitação de pagamentos em Bitcoins para compras feitas no site Alibabá, a legislação do Japão que reconhece a criptografia como meio de pagamento.

Segundo ela, a regulamentação do Bitcoin está em discussão na Câmara dos Deputados, no âmbito do Projeto de Lei nº 2303, de 2015, que pretende inserir as moedas virtuais e programas de milhagem aéreas na definição de ‘arranjos de pagamento’ sob a supervisão do Banco Central.


Fique atualizado em relação as principais notícias do setor. Inscreva-se na Newsletter e nos acompanhe nas Redes Sociais (Facebook, Linkedin e Twitter).