Cidadãos terão documentos no celular a partir de junho


O governo anunciou esta semana, em cerimônia no Palácio do Planalto, o projeto piloto para o DNI – Documento Nacional de Identificação – que integra o RG, o CPF e o título de eleitor e, em breve, deve incorporar também o cartão do SUS. Os testes iniciais serão feitos com 2 mil servidores do Ministério do Planejamento e do TSE. E a previsão é que a nova identidade digital esteja disponível à população em junho de 2018, quando poderá ser baixada no celular por meio de aplicativo.

O DNI tem validade em todo o território nacional e vai usar a base biométrica de dados da Justiça Eleitoral, o que requer que os cidadãos façam o cadastramento biométrico no Tribunal Regional Eleitoral (TER). Até 2024, o governo espera que 100% do eleitorado tenha biometria cadastrada na instituição. Segundo o ministro do Planejamento, Dyogo de Oliveira, outras formas de identificação não serão eliminadas e o custo do DNI será de R$ 0,10 por habitante. A nova identificação dispensa a apresentação de outros documentos como CPF, certidão de nascimento, casamento ou título de eleitor.

Com informações de Valor Econômico e Jornal Extra


Fique atualizado em relação as principais notícias do setor. Inscreva-se na Newsletter e nos acompanhe nas Redes Sociais (Facebook, Linkedin e Twitter).